Nesta quinta-feira (25), a equipe de comunicação do ex-presidente Lula divulgou uma carta em que o petista fala sobre o atual momento da política brasileira, a três dias da votação do segundo da eleição presidencial.

Lula, preso na sede da Polícia Federal, em Curitiba, desde abril, começa dizendo que há a ameaça de um grande retrocesso para o país e para a democracia. O ex-presidente afirma que é o momento de unir a todos em torno da candidatura de Fernando Haddad (PT), que disputa o segundo turno contra Jair Bolsonaro (PSL).

Lula afirmou que percorreu o Brasil por mais de 40 anos tentando levar esperança ao povo. O petista afirma que sofreu muito preconceito e chegou a ser vítima de mentiras e de violência. Ele garante que conseguiu construir uma relação de confiança com os trabalhadores.

Segundo ele, o povo sabe o que o PT fez pelo Brasil a partir de 2002, quando Lula foi eleito presidente pela primeira vez ao derrotar o tucano José Serra (PSDB).

O petista afirma ter consciência de que fez o melhor pelo Brasil e pelo povo.

Em seguida, vem o parágrafo mais polêmico. Lula afirma que a imprensa, com a Rede Globo à frente, e setores parciais do Judiciário fizeram força para associar o PT à Corrupção.

"Para derrubar o governo da presidenta Dilma Rousseff, em 2016, juntaram todas as forças da imprensa, com a Rede Globo à frente, e de setores parciais do Judiciário, para associar o PT à corrupção", afirmou o ex-presidente.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Corrupção

Na campanha do segundo turno, Fernando Haddad foi questionado sobre os casos de corrupção no governo petista. O candidato da legenda afirmou que partido errou. "É claro que o PT errou", disse Haddad em entrevista à rádio Jovem Pan.

Mais adiante no texto, Lula afirma que foi condenado injustamente, num processe arbitrário e sem provas. Segundo o ex-presidente, isso aconteceu porque ele seria eleito no primeiro turno nestas eleições de 2018.

Seu pupilo, Fernando Haddad, aparece atrás de Jair Bolsonaro (PSL) na disputa presidencial. Segundo levantamento Datafolha divulgado nesta quinta-feira, o petista tem 44% dos votos válidos, contra 56% do concorrente. No levantamento do Ibope, a diferença é maior: 57% contra 43%.

Na parte final da carta, Lula fala sobre ameaça fascista, sem citar Bolsonaro, e diz que é hora de votar em Haddad para a sobrevivência da democracia. As eleições acontecem no próximo domingo.

Lula longe da campanha

O ex-presidente Lula sempre foi um trunfo para o PT, mas no segundo turno o partido resolver se desligar do líder máximo da legenda. A imagem de Lula foi retirada da campanha e o slogan “Haddad é Lula” foi substituído.

Pela primeira vez na história o PT agiu dessa forma. O partido percebeu que a onipresença de Lula, mesmo preso em Curitiba, estava acirrando o antipetismo e decidiu retirá-lo de cena.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo