O deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do candidato à Presidência Jair Bolsonaro, criticou o petista Fernando Haddad. As críticas foram após Haddad avaliar que Bolsonaro estaria fugindo dos debates presidenciais. Com isso, Eduardo, que foi o deputado federal mais votado, disse que seu pai tem armas de sobra para atacar o representante petista.

Nas declarações dadas por Eduardo, ele disse que Boslonaro ir aos debates com Haddad seria o mesmo que "bater em cachorro morto", evidenciando que seu pai está a frente das pesquisas eleitorais e tem grandes chances de ganhar a vaga na Presidência da República.

Bolsonaro ganhou o primeiro turno com mais de 40% dos votos úteis e segue liderando a disputa. O dia 28 de outubro será decisivo para o Brasil.

Em comparação com Geraldo Alckmin, Eduardo Bolsonaro disse que Haddad está desesperado e que caiu no mesmo erro que o tucano, segundo ele, "caiu no ridículo". Outro ponto que Eduardo apontou foi para um suposto distanciamento do ex-presidente Lula: "Até o ex-presidente Lula está se distanciando dele, porque sabe que a derrota dele é certa", disse. O deputado federal que ganhou com mais de 1,8 milhões de votos avalia que a realidade é que Haddad não consegue decolar.

Deputado apontou acusações que Haddad responde na Justiça

Eduardo Bolsonaro evidenciou que Fernando Haddad responde por crimes de corrupção, formação de quadrilha e lavagem de capitais. Além do mais, o político disse que o concorrente do seu pai está no partido que mais tem políticos presos. O líder do PT, o ex-presidente Lula, responde pelo crime de organização criminosa e está na cadeia desde abril.

Em tom de aviso, Eduardo disse que o eleitor tem que ser muito ingênuo para votar no Haddad, pois é um político sem credibilidade.

Negociações com políticos de outros partidos

Além de criticar Haddad, Eduardo comentou da negociação que está sendo articulada com parlamentares de outros partidos para fazer a bancada do PSL mais forte. Segundo o deputado, o Delegado Waldir (PSL-GO) está sendo responsável pela busca de novos parlamentares.

Após as Eleições, a bancada do PSL conta com 52 integrantes. Bolsonaro transformou um partido pequeno em um "gigante" e conseguiu emplacar diversos aliados para cargos no governo.

Após a eleição, caso seja escolhido presidente, o filho de Bolsonaro disse que o pai estará dando prioridade a pauta de economia e segurança. O objetivo é que o início do mandato dê andamento para a Reforma da Previdência e Tributária.

Não perca a nossa página no Facebook!