Foi divulgada na noite desta terça-feira (2), a nova pesquisa do Datafolha, o Instituto de Pesquisas do Grupo Folha, nela o candidato Jair Bolsonaro aparece contando com uma vantagem expressiva com relação a última pesquisa feita pelo Datafolha: o militar abriu mais 4 pontos percentuais, já Haddad do PT oscilou em 1% das intenções de voto, enquanto Ciro estagnou. Por outro lado, o tucano Geraldo Alckmin e a presidente da REDE, Marina Silva decresceram em 1%: O psdbista foi de 10 para 9% e a senadora de 5% para 4%.

Registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o alfanumérico: BR-03147/2018, o nível de confiança desta pesquisa é de 95%, o que significa que a mesma retrata 95% da realidade.

Tendo como contratante o jornal 'Folha de S. Paulo', a nova pesquisa do Instituto de Pesquisas do Grupo Folha, o Datafolha, entrevistou 3.240 pessoas em 225 cidades, tendo sido realizada nesta terça-feira (2).

Esta é a primeira vez que Bolsonaro consegue ultrapassar a margem dos 30% no Datafolha, como visto Haddad por sua vez parou de subir.

Em resumo, Jair Bolsonaro do PSL (Partido Social Liberal) ficou com 32%, enquanto que o petista Haddad oscilou para 21%, Já Ciro manteve 11% das intenções, Alckmin oscilou para 9%, e Marina para 4%, Amoêdo do Novo ficou em 3%, e Henrique Merirelles, Alvaro Dias e Cabo Daciolo em 2%, já Boulos, Goulart Filho, Eymael e Vera Lúcia não pontuaram ficando em 0%. Branco ou nulo ficaram em 8%. Não sabe ou não respondeu totalizaram 5%.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

Haddad dispara em taxa de rejeição mais do que Bolsonaro

O levantamento da nova pesquisa também levou em conta a rejeição de cada candidato: Citando os nomes, a pesquisa do Datafolha acrescentou: "E qual mais?". Como se pode ver portanto, o (a) entrevistado (a) podia citar mais de 1 candidato no qual não votaria de jeito nenhum, foram eles:

  • Bolsonaro com 45%;
  • Haddad com 41%;
  • Marina 30%;
  • Alckmin 24%;
  • Ciro Gomes 22%;
  • Meirelles e Boulos com 15%;
  • Daciolo com 14%;
  • Alvaro Dias e Vera com 13%;
  • Eymael e Amoêdo com 12%;
  • e Goulart Filho com 11%.

Aqui, rejeita todos ou não votaria em nenhum somaram 3%.

Votaria em qualquer um ou não rejeita nenhum ficou em 1 %, segundo a pesquisa. Vale lembrar que Bolsonaro caiu 1% na taxa de rejeição, nivelado foi de 46 par 45%, já Haddad disparou na taxa de rejeição indo de 32 para 41%.

Como ficaria o cenário presidencial em eventual 2º turno, segundo o levantamento do Datafolha

Em simulação de 2º turno, no Datafolha em disputa entre Ciro Gomes e Alckmin, Ciro venceria com 42% dos votos contra 37% do tucano.

Brancos e nulos somariam 19%, não sabe 2%. Em toda a simulação foi considerada também, a margem de erro de 2 pontos percentuais.

Já um enfrentamento entre o tucano Geraldo Alckmin e o candidato Jair Bolsonaro resultaria em um empate técnico sendo 43% para o psdbista contra 41% de Bolsonaro. Brancos ou nulos somaram 14%, não sabe 2%.

Em cenário com Ciro e Bolsonaro, Ciro ficaria com 46%, enquanto que Bolsonaro teria 42%.

Brancos e nulos ficaram em 10%, não sabe, em 2%.

Em simulação com Alckmin e Haddad juntos, o tucano apareceria com 43% das intenções contra 36% de Haddad. Aqui brancos e nulos somaram 19%, não sabe ficou em 2%.

Se estivesse Haddad e Bolsonaro juntos, haveria um empate técnico, já que aqui o capitão aparece com 44% enquanto que Haddad fica com 42% dos votos válidos. Neste cenário, brancos ou nulos ficaram em 12%, não sabe, 2%.

Em último eventual cenário também apontado pelo G1 está Ciro e Haddad: O pedetista ficaria com 46% enquanto que o petista ficaria em 32%, brancos ou nulos ficaram em 20%, não sabe, 2%.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo