Foi divulgada na noite desta terça-feira (2), a nova pesquisa do Datafolha, o Instituto de Pesquisas do Grupo Folha, nela o candidato Jair Bolsonaro aparece contando com uma vantagem expressiva com relação a última pesquisa feita pelo Datafolha: o militar abriu mais 4 pontos percentuais, já Haddad do PT oscilou em 1% das intenções de voto, enquanto Ciro estagnou. Por outro lado, o tucano Geraldo Alckmin e a presidente da REDE, Marina Silva decresceram em 1%: O psdbista foi de 10 para 9% e a senadora de 5% para 4%.

Publicidade
Publicidade

Registrada no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sob o alfanumérico: BR-03147/2018, o nível de confiança desta pesquisa é de 95%, o que significa que a mesma retrata 95% da realidade.

Tendo como contratante o jornal 'Folha de S. Paulo', a nova pesquisa do Instituto de Pesquisas do Grupo Folha, o Datafolha, entrevistou 3.240 pessoas em 225 cidades, tendo sido realizada nesta terça-feira (2).

Esta é a primeira vez que Bolsonaro consegue ultrapassar a margem dos 30% no Datafolha, como visto Haddad por sua vez parou de subir.

Em resumo, Jair Bolsonaro do PSL (Partido Social Liberal) ficou com 32%, enquanto que o petista Haddad oscilou para 21%, Já Ciro manteve 11% das intenções, Alckmin oscilou para 9%, e Marina para 4%, Amoêdo do Novo ficou em 3%, e Henrique Merirelles, Alvaro Dias e Cabo Daciolo em 2%, já Boulos, Goulart Filho, Eymael e Vera Lúcia não pontuaram ficando em 0%. Branco ou nulo ficaram em 8%. Não sabe ou não respondeu totalizaram 5%.

Haddad dispara em taxa de rejeição mais do que Bolsonaro

O levantamento da nova pesquisa também levou em conta a rejeição de cada candidato: Citando os nomes, a pesquisa do Datafolha acrescentou: "E qual mais?".

Publicidade

Como se pode ver portanto, o (a) entrevistado (a) podia citar mais de 1 candidato no qual não votaria de jeito nenhum, foram eles:

  • Bolsonaro com 45%;
  • Haddad com 41%;
  • Marina 30%;
  • Alckmin 24%;
  • Ciro Gomes 22%;
  • Meirelles e Boulos com 15%;
  • Daciolo com 14%;
  • Alvaro Dias e Vera com 13%;
  • Eymael e Amoêdo com 12%;
  • e Goulart Filho com 11%.

Aqui, rejeita todos ou não votaria em nenhum somaram 3%. Votaria em qualquer um ou não rejeita nenhum ficou em 1 %, segundo a pesquisa. Vale lembrar que Bolsonaro caiu 1% na taxa de rejeição, nivelado foi de 46 par 45%, já Haddad disparou na taxa de rejeição indo de 32 para 41%.

Como ficaria o cenário presidencial em eventual 2º turno, segundo o levantamento do Datafolha

Em simulação de 2º turno, no Datafolha em disputa entre Ciro Gomes e Alckmin, Ciro venceria com 42% dos votos contra 37% do tucano. Brancos e nulos somariam 19%, não sabe 2%. Em toda a simulação foi considerada também, a margem de erro de 2 pontos percentuais.

Já um enfrentamento entre o tucano Geraldo Alckmin e o candidato Jair Bolsonaro resultaria em um empate técnico sendo 43% para o psdbista contra 41% de Bolsonaro.

Publicidade

Brancos ou nulos somaram 14%, não sabe 2%.

Em cenário com Ciro e Bolsonaro, Ciro ficaria com 46%, enquanto que Bolsonaro teria 42%. Brancos e nulos ficaram em 10%, não sabe, em 2%.

Em simulação com Alckmin e Haddad juntos, o tucano apareceria com 43% das intenções contra 36% de Haddad. Aqui brancos e nulos somaram 19%, não sabe ficou em 2%.

Se estivesse Haddad e Bolsonaro juntos, haveria um empate técnico, já que aqui o capitão aparece com 44% enquanto que Haddad fica com 42% dos votos válidos.

Publicidade

Neste cenário, brancos ou nulos ficaram em 12%, não sabe, 2%.

Em último eventual cenário também apontado pelo G1 está Ciro e Haddad: O pedetista ficaria com 46% enquanto que o petista ficaria em 32%, brancos ou nulos ficaram em 20%, não sabe, 2%.

Leia tudo