O candidato Jair Bolsonaro (PSL) continua firme na liderança do segundo turno da corrida presidencial, mas a equipe de campanha do candidato ligou o sinal de alerta depois dos levantamentos divulgados pelo Ibope e pelo Datafolha mostrarem, nesta semana, uma queda na porcentagem de intenção de votos.

Na última terça-feira (23), a pesquisa Ibope apontava que Jair Bolsonaro contava com 57% dos votos válidos contra 43% do concorrente Fernando Haddad (PT). Embora a vantagem seja grande, ela ficou menor do que os 59% a 41% do levantamento divulgado no dia 15.

O momento de atenção ganhou um novo capítulo nesta quinta-feira (25), com a divulgação da pesquisa Datafolha. Bolsonaro caiu de 59% para 56%, acima da margem de erro que é de dois pontos percentuais. Na contramão, Haddad passou de 41% para 44%.

Na quarta-feira, Bolsonaro fez uma transmissão ao vivo no Facebook, onde é seguido por mais de seis milhões de internautas. No vídeo, o candidato do PSL pediu que seus aliados não se desmobilizassem e se concentrassem na eleição nacional.

O diagnóstico da equipe de Bolsonaro é que os aliados estão ligados nas campanhas estaduais e se esqueceram da disputa nacional. Dois exemplos disso são as disputas em São Paulo e no Rio de Janeiro.

Em São Paulo, João Doria (PSDB) se posicionou a favor de Bolsonaro, mas muitos dos deputados eleitos pelo PSL no estado e o senador eleito Major Olímpio se dirigiram à campanha de Márcio França (PSB).

França se declarou neutro na disputa presidencial e tem sido atacado pela equipe de Doria por ser aliado antigo do PT. Major Olímpio aparece na propaganda eleitoral de Márcio França criticando João Doria. Pesa contra Doria o fato de já ter criticado Bolsonaro em algumas ocasiões chamando-o, inclusive, de extremista.

No Rio de Janeiro também há uma certa divisão. Wilson Witzel (PSC) passou ao segundo turno na aba de Jair Bolsonaro, mas em vídeo que circula nas redes sociais, Flávio Bolsonaro, filho de Jair, aparece elogiando Eduardo Paes (DEM).

Bolsonaro convoca a imprensa

Em uma mudança de postura, a equipe de Bolsonaro entendeu que o candidato deve aparecer. De início, a proposta era que ele aparecesse menos. Por isso, nesta quinta, Bolsonaro convocou a imprensa.

Na entrevista, que terminou com o lutador Robson Gracie entregando uma faixa preta de jiu-jítsu a Bolsonaro, o candidato do PSL afirmou que a eleição não está garantida e cobrou maior empenho dos aliados.

Bolsonaro afirmou que em São Paulo o objetivo não é eleger um governador, mas sim somar votos para a sua candidatura. A campanha de Bolsonaro tem se mantido neutra nas disputas estaduais. A eleição presidencial acontece no domingo (28).

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo