Nas redes sociais nesta quinta-feira (18), um dos principais assuntos comentados foi a revelação de que empresas estariam comprando pacotes de disparos em massa no WhatsApp para denegrir a imagem do candidato Fernando Haddad, do Partido dos Trabalhadores. Especialistas no assunto veem risco de abrir um processo de cassação em relação à candidatura de Bolsonaro.

O jornal Folha de S. Paulo foi quem revelou a campanha do envio de pacotes em massa pelo WhatsApp.

Especialistas afirmam que a compra das mensagens são consideradas como doações que não foram contabilizadas, o que de certa forma seria um caixa 2 de campanha, o que é proibido pelo STF - Supremo Tribunal Federal.

Outro crime que teria sido cometido é o de contratar pessoas para divulgar o conteúdo que tem como único objetivo prejudicar a imagem de Haddad. Caso a candidatura de Jair Bolsonaro venha mesmo a ser cassada, as Eleições seriam anuladas e um novo pleito precisaria ser feito, foi o que informou Gabriella Rollemberg, vice-presidente da Comissão de Direito Eleitoral da OAB.

Situação delicada

De acordo com Guilherme de Salles Gonçalves, membro da Academia Brasileira de Direito Eleitoral, a situação do país é muito delicada, pois essa situação tem uma soma de ilegalidade.

Segundo o Folha de S. Paulo, as empresas pagavam cerca de R$ 12 milhões por cada contrato e mesmo que Bolsonaro alegue que não sabia de nada, a jurisprudência do TSE irá avaliar o benefício da prática em relação à sua candidatura. A lojas Havan são apontadas como uma das que compraram esses pacotes.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

"Não tenho controle disso"

Na tarde de hoje, Jair Bolsonaro comentou a respeito e disse que não tem controle algum sobre o ocorrido. "Eu sei que fere a legislação, mas eu não tenho controle", declarou o candidato.

Ainda segundo Bolsonaro, pode ser que tenha gente ligada à esquerda, fingindo que está ao lado dele, quando na verdade quer apenas complicar sua vida.

De acordo com a reportagem do Folha, as empresas envolvidas neste esquema estavam preparando uma mega operação que seria disparada na semana que vem, na semana que antecede as votações para o segundo turno.

Carlos Bolsonaro usou seu perfil no Twitter para criticar a imprensa e também o PT, alegando que agora estão atacando pelo WhatsApp. Jair Bolsonaro ficou o dia todo em sua residência, na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio de Janeiro, onde recebeu alguns representantes da Frente Parlamentar Evangélica.

Fernando Haddad e o partido de Ciro Gomes já decidiram ir à Justiça para cassar a chapa de Jair Bolsonaro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo