Nas últimas pesquisas, surgiu uma queda na rejeição do candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, isso chegou a animar alguns membros do partido. No entanto, há petistas que admitem que a eleição já está definida e a corrida do PT seria para que a derrota não seja tão avassaladora.

Conforme noticiou o painel da Folha de São Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que está preso na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, tem demonstrado aos que vão visitá-lo na cadeia, que o partido utilizou estratégias erradas em relação à campanha de Haddad.

Publicidade
Publicidade

Um dos pontos observados por Lula e de grande lamento é um grave erro ao deixarem o candidato do PT "preso em São Paulo" para gravar programas eleitorais para TV. Enquanto isso, o adversário, Jair Bolsonaro, estava nas ruas junto com o povo e, com isso, ganhando a periferia, que sempre foi o alvo do PT.

Segundo o condenado pela Operação Lava Jato, isso afastou Haddad do povo, e proporcionou a Bolsonaro o crescimento nas regiões mais pobres.

O momento agora para alguns membros do partido é buscar uma forma do PT sair forte da campanha e evitar uma derrota muito expressiva. Eles tentarão buscar ao máximo que Haddad fique próximo dos votos de Bolsonaro, mesmo analisando que a derrota está muito próxima de acontecer.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lula Eleições

Advogados pedem suspensão da ação penal

Os advogados do ex-presidente Lula acionaram o Supremo Tribunal Federal (STF) e pediram a suspensão da ação penal que envolve um terreno concedido pela construtora Odebrecht ao líder do PT. Segundo a denúncia, esse terreno seria uma forma de beneficiar Lula com propina.

A defesa do ex-presidente quer que essa ação, que está sob responsabilidade do juiz federal Sérgio Moro, seja suspensa até que o Comitê de Direitos Humanos da ONU se posicione sobre uma determinação de que o Brasil se abstenha de praticar qualquer ato que possa interferir no julgamento do mérito que será realizado por aquela instância.

Publicidade

Alegações finais

Outro ponto colocado em questão pela defesa do condenado é sobre as alegações finais estipuladas por Moro. Os advogados querem que as alegações de Lula só sejam feitas após delatores terem feito as suas. Eles também pedem a retirada da delação do ex-ministro Antonio Palocci dessa ação penal.

Lula é acusado de receber R$ 12,5 milhões envolvendo a compra de um terreno em São Paulo, onde, de acordo com os procuradores, seria construído o Instituto Lula.

Também está envolvido nesse processo a compra de um apartamento vizinho ao de Lula em São Bernardo do Campo.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo