O candidato ao governo do Estado de São Paulo Major Costa e Silva (DC), deu nesta quinta-feira (4) uma entrevista detalhando o atentado que sofreu na noite anterior, quando dois homens em uma moto efetuaram vários disparos contra o veículo em que estava ele e seu coordenador de campanha, capitão do Exército Hamilton Munhoz. O crime aconteceu na Estrada Cooperativa, na cidade de Ribeirão Pires.

Na entrevista, o postulante ao cargo máximo do Executivo estadual disse que passou a andar protegido com o colete após o atentado sofrido por Jair Bolsonaro, no dia 6 de setembro, em Juiz de Fora (MG), quando o candidato do PSL levou uma facada enquanto participava de um ato de campanha.

Publicidade
Publicidade

Ele disse que antes mesmo do atentado a Bolsonaro, já ouvia ameaças, mas “achava vazio”.

Costa e Silva disse que na semana passada havia recebido uma ameaça, vinda de um número de telefone não identificado. “Estão armando uma emboscada para você”, dizia a mensagem. O candidato não deu muito crédito à ameaça por considerá-la vazia. Para ele, a motivação não foi política e sim por algo que ele tenha dito ou falado que possa ter ofendido alguém.

Sistema dominante

Já em um vídeo postado nas redes sociais, a assessoria do candidato Major Costa e Silva afirmou que o atentado pode ter sido provocado pelo que ele classifica como “sistema dominante”.

Publicidade

Ele revelou que vinha sofrendo pressões por se recusar a fechar acordos com o “sistema político dominante” em troca de apoio, porém não faz qualquer tipo de menção a qualquer suspeito. Ainda segundo ele, o tal sistema “está com medo”, e ele ainda colocou em dúvida a veracidade das pesquisas eleitorais, cravando que o candidato da Democracia Cristã é um dos primeiros colocados na preferencia do eleitor.

O crime

No final da tarde de quarta-feira (3), Costa e Silva e seu coordenador Munhoz, haviam deixado a casa da cabo Fátima, que é vice da chapa do candidato, em Mauá.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Eleições

Eles estavam em uma estrada de Ribeirão Pires quando deu-se o primeiro disparo e o vidro estilhaçou. Munhoz, que estava na direção, freou, enquanto que Costa revidava os disparos, mas carro se descontrolou e despencou em um córrego.

Com a água entrando no veículo, eles não conseguiram abrir as portas e precisaram atirar contra o vidro para então conseguirem sair. Eles ainda ficaram um tempo detidos na estrada para ter certeza que os criminosos não voltariam.

Quando viram que a situação estava seguram, começaram a pedir ajuda aos veículos que passavam pelo local.

O candidato Costa e Silva, de acordo com a última pesquisa divulgada pelo Datafolha nesta quinta-feira (4), é o quinto colocado na corrida eleitoral. Ele tem 2% das intenções de votos. No levantamento anterior ele aparecia com 3%.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo