Após consumada a disputa presidencial em primeiro turno das Eleições de 2018, as campanhas de PT e PSL já fazem análises da atual situação na conjuntura eleitoral e avaliam as chances com base nos resultados obtidos no último domingo.

De acordo com os resultados finalizados da apuração eleitoral para o cargo de presidente da República, o candidato do PSL, Jair Messias Bolsonaro, obteve aproximadamente 46% dos votos, totalizando cerca de cinquenta milhões de votos.

Publicidade
Publicidade

Já o candidato Fernando Haddad obteve a segunda colocação, com cerca de 28% dos votos, totalizando aproximadamente trinta milhões. Bolsonaro obteve aproximadamente vinte milhões de votos a mais do que o candidato do PT, alcançando, até o momento, favoritismo para a disputa presidencial em segundo turno.

'Onda conservadora'

Os resultados das eleições em primeiro turno, em se tratando da disputa eleitoral para a Presidência da República, ocasionaram algumas manifestações por parte de membros integrantes da campanha petista.

Publicidade

Um dos integrantes da coordenação da campanha de Fernando Haddad citou a palavra "massacre", para se referir ao resultado, segundo a Folha de S. Paulo. A campanha petista também chegou a conclusão de que se basear apenas no legado do ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, seria insuficiente e já teria alcançado um limite, uma reorientação de rota deve ser algo obrigatório.

Já o candidato Bolsonaro surfa numa onda conservadora. Embora não tenha fechado a disputa em primeiro turno à Presidência da República, o candidato do PSL possui uma grande vantagem sobre o petista em segundo turno.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Eleições PT

Ele já vem angariando apoios de candidatos que disputam o segundo turno em estados considerados "chave", como nos principais colégios eleitorais brasileiros.

Vários candidatos aliados a Bolsonaro lograram votações muito expressivas nos estados, se tornando verdadeiros "campeões de votos" Brasil afora. Vale exemplificar que nos três principais colégios eleitorais do país, candidatos próximos a ele disputam segundo turno. No estado de São Paulo, o postulante João Doria, do PSDB, acabou se tornando aliado natural do presidenciável e ex-capitão do Exército.

No estado de Minas Gerais, Romeu Zema disputa segundo turno com Antonio Anastasia. Zema é aliado do presidenciável do PSL. Já no estado do Rio de Janeiro, o candidato Wilson Witzel também é aliado de Jair Messias Bolsonaro. A disputa presidencial será decidida no dia 28 de outubro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo