Nesta terça-feira (30), o juiz federal Sérgio Moro emitiu uma nota oficial em que esclarece seu pensamento a respeito de um provável convite do presidente eleito Jair Messias Bolsonaro, para que o magistrado responsável pela condução da Operação Lava Jato assuma a pasta do Ministério da Justiça ou que venha a integrar a mais alta instância de Justiça do país; o Supremo Tribunal Federal (STF).

Vale ressaltar que o juiz federal Sérgio Moro é o magistrado titular da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná e conduz em primeira instância a maior operação anticorrupção já desencadeada em toda a história contemporânea do Brasil, responsável pela investigação de escândalos de corrupção que culminaram em desvios bilionários dos cofres públicos da maior estatal brasileira, a Petrobrás.

Dentre os presos que se encontram condenados por processos relacionados às investigações da força-tarefa, está o ex-presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

Vale lembrar que o ex-mandatário petista foi sentenciado a mais de doze anos de prisão em regime fechado pelo cometimento de crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva, em se tratando do inquérito que envolve a aquisição de um imóvel apartamento de luxo tríplex, localizado em uma das principais áreas nobres da cidade litorânea da cidade do Guarujá, no estado de São Paulo.

Convite e reflexão

O juiz Sérgio Moro reagiu surpreso ao convite feito pelo presidente eleito Jair Bolsonaro, do PSL. De modo positivo, o magistrado paranaense afirmou por meio de uma nota oficial que se sente "honrado" com a lembrança de seu nome para o Ministério da Justiça do Governo que irá dirigir o país para os próximos quatro anos e também por ter sido lembrado para assumir uma vaga o Supremo Tribunal Federal (STF).

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Jair Bolsonaro

O juiz paranaense prometeu que irá discutir e fazer uma reflexão sobre o convite do presidente eleito, caso seja realmente efetivado. Numa entrevista repercutida intensamente nas redes sociais, fornecida a emissoras de televisão, na noite da última segunda-feira (29), Bolsonaro tinha afirmado que deverá convidar o juiz Sérgio Moro para que viesse a compôr quadros do novo governo, como ministro da Justiça ou que pudesse aceitar integrar a Suprema Corte brasileira.

A oportunidade de mudança no STF ocorrerá já a partir de 2020, quando o ministro decano Celso de Mello deverá se aposentar. O presidente eleito poderá ainda, indicar outro nome para a Corte, já que o ministro Marco Aurélio Mello também deixará o Tribunal, em meados de 2021. Entretanto, o juiz Sérgio Moro, ao ser procurado ontem pela jornalista Mônica Bérgamo, do jornal "Folha de São Paulo", preferiu não fazer qualquer tipo de manifestação em relação a isso.

O magistrado disse "não teria comentário e que iria ficar devendo".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo