O candidato Jair Bolsonaro (PSL) fez uma breve participação no Jornal Nacional que foi exibido nesta última segunda-feira (8). Ao ser questionado por William Bonner sobre as declarações feitas pelo seu vice, general Hamilton Mourão, que disse que existe a possibilidade de criar uma nova Constituição e consequentemente aplicar um autogolpe por parte do presidente junto às Forças Armadas, o capitão reformado disse que o seu vice foi infeliz ao declarar isso e acrescentou que quem irá governar o país é o presidente.

Não perca as atualizações mais recentes Siga o Canal Jair Bolsonaro

Bolsonaro [VIDEO]disse que não pretende criar uma nova Constituição e sobre o autogolpe declarou que não entendeu o que Mourão quis dizer, mas que não existe a possibilidade disto acontecer.

O presidenciável fez questão de dizer que está disputando uma eleição e o voto do povo é quem decide e se eleito irá servir a nação junto aos seus auxiliares. Sobre ter escolhido o general Mourão para ser seu vice, o capitão reformado disse que foi pela necessidade de demonstrar autoridade sem ser autoritário.

Resposta de Mourão

O candidato a vice-presidente do presidenciável Jair Bolsonaro (PSL), Hamilton Mourão tem causado muita repercussão com sua declarações sobre os planos para governo caso seja eleito junto ao capitão reformado. Após Bolsonaro o desautorizar sobre sua fala em que cita a possibilidade de aplicar um autogolpe, Mourão tentou minimizar a situação. O general disse que o presidenciável caiu em uma cilada, pois ele estava hospitalizado e não acompanhou a polêmica sobre a declaração que foi feita em uma entrevista na GloboNews.

Sobre a Constituição, Mourão afirmou que a que rege o Brasil é muito abrangente, mas que a respeita, o que apenas tentou fazer foi defender seus princípios e valores e admitiu que errou ao fazer as declarações. O general disse não se considerar um político e que por isso às vezes fala o que pensa.

Sobre a as afirmações de Bolsonaro de respeitar a Constituição, o general disse que o capitão reformado poderia continuar com sua visão, mas que ele não iria deixar seu senso critico, só não iria ser uma vice anencéfalo, pois tem suas opiniões.

Haddad chama Bolsonaro para assinar um acordo contra as fake news

Na tentativa de acabar com as noticias falsas que circulam pela internet até o fim da campanha eleitoral, o candidato Fernando Haddad [VIDEO] (PT) propôs ao seu adversário Jair Bolsonaro (PSL) que juntos assinassem um acordo. O capitão-reformado, além de negar o acordo, xingou o petista. Bolsonaro disse que seu rival no segundo turno inventou mentiras contra ele e agora o chama para um acordo contra as fakes news, completou é um “canalha”.

O discurso de que pretende criar uma tabela de impostos para os pobres é mentira e afirmou que o seu plano para o governo é isentar quem recebe até R$ 5 mil e acusou o PT de querer roubar sua proposta. Segundo o petista, não é possível combater a disseminação de noticias falsas pelas mídias sociais, pois não há recursos.

Haddad também apelou para a Justiça Eleitoral, e pediu para que seja mais rápida e eficiente em combater a fake news na internet e sugeriu a criação de protocolo ético para abordar esse tema durante as campanhas.