A nova pesquisa do Ibope, divulgada nesta segunda-feira (1º), mostrou que a rejeição ao candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, subiu 11 pontos em apenas cinco dias, enquanto que outros candidatos oscilaram dentro da margem de erro. Líder nas pesquisas de intenção de voto, Jair Bolsonaro, do PSL, manteve-se estável neste quesito.

No levantamento divulgado em 26 de setembro, tanto Haddad quanto Marina Silva (Rede) tinham 27% de rejeição, enquanto que Bolsonaro aparecia com 44%.

Já na pesquisa divulgada nesta segunda-feira, Bolsonaro manteve os 44% enquanto que o ex-prefeito de São Paulo saltou 11 pontos, batendo os 38%. Já Marina oscilou dois pontos para baixo, tendo agora 25%. Geraldo Alckmin, do PSDB, tem 19%, seguido de Ciro Gomes (PDT), que tem 18%.

Em entrevista à GloboNews, a diretora executiva do Ibope Inteligência, Marcia Cavallari, falou sobre esse grande crescimento da rejeição do petista em tão pouco tempo.

Para ela, isso se dá por conta da exposição que o petista vem tendo desde que passou a ser o candidato do partido, aliado aos ataques dos adversários. “Enquanto ele não era tão conhecido, estava com uma rejeição mais baixa”, analisou. Além disso, Cavallari acredita que a rejeição ao candidato também se dá em razão da rejeição ao próprio partido, constantemente ligado à escândalos de corrupção.

Desde o início da campanha Bolsonaro foi fortemente acusado de machismo e tem sofrido com manifestações de grupos feministas e mulheres do meio artístico, porém quem tem mais crescido em rejeição dentre o eleitorado feminino é justamente Haddad, que em menos de uma semana viu seu índice de rejeição entre as mulheres subiu em 13 pontos, saltando de 20 para 33%. Já a rejeição a Bolsonaro, mesmo com todos os ataques que vem sofrendo, pela segunda pesquisa consecutiva recuou e agora está em 51%.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro

Intenções de voto

A alta na rejeição também tem refletido nas pesquisas de intenção de voto do candidato do PT, que pela primeira vez oscilou negativamente desde que foi oficializado como candidato da chapa. No levantamento divulgado nesta segunda-feira (1º), o petista aparece com 21% das intenções de votos, contra 31% de Bolsonaro, que subiu quatro ponto percentuais em relação à pesquisa anterior.

Quem também oscilou um ponto para baixo foi Ciro Gomes, que agora aparece com 11% das intenções de votos. Geraldo Alckmin, por sua vez, manteve os 8%. Brancos e nulos totalizam 12% e eleitores indecisos ou que não souberam responder somam 5%.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo