A ministra do Supremo Tribunal Federal (STF) Rosa Weber teve que pedir ajuda para a Polícia Federal após receber ameaças. O pedido feito para a PF é para investigar mensagens endereçadas diretamente para a ministra, nas quais estão questionando a lisura do processo eleitoral. Devido a Jair Bolsonaro liderar com folga a corrida presidencial, há eleitores do PSL que estão preocupados com a veracidade das urnas eletrônicas, tentando precaver-se de um possível golpe na contagem dos votos úteis de Bolsonaro.

Publicidade
Publicidade

Segundo informações do painel da "Folha de S.Paulo", em tom ameaçador um texto afirmou que Bolsonaro já estaria eleito como presidente do Brasil, e que, caso as urnas eletrônicas mostrem um resultado contrário a isso, haverá uma "revolta popular". O suposto eleitor de Bolsonaro teria dito que se as urnas forem fraudadas, poderá ocorrer uma nova greve dos caminhoneiros e também a população estará de volta nas ruas.

Publicidade

O suposto eleitor mostra que o Brasil pode sair dos eixos até que ocorram novas Eleições com voto impresso.

No entanto, o que chamou atenção nessa mensagem é que ela está sendo direcionada especialmente à ministra Rosa Weber. Outras mensagens com as mesmas características já foram enviadas ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), mas nunca apontando exclusivamente para um ministro. Por conta disso, Weber resolveu acionar a Polícia para que se tomem as devidas providências.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Jair Bolsonaro

A mensagem foi enviada através da rede social do TSE, a princípio o objetivo da investigação é analisar o perfil do usuário, para saber se trata-se de uma pessoa real ou falsa.

Ainda no texto escrito na rede social, a pessoa enfatiza: "espero que a sra. fique de olho”, “é só um aviso, com todo respeito". Os assessores de Rosa Weber foram quem encaminharam o pedido de investigação para a PF.

Alerta com a segurança das urnas

Aliados do candidato Jair Bolsonaro estão alertando sobre a possibilidade de fraude nas urnas.

Desde que ocorreu o primeiro turno presidencial, no qual Bolsonaro venceu com mais de 40% dos votos úteis, os aliados do político deixam clara uma suspeita com a veracidade das urnas eletrônicas.

No segundo turno, as pesquisas de intenções de voto mostram o político do PSL com ampla vantagem perante o petista Fernando Haddad. Tudo leva a crer, caso os votos caminhem como as pesquisas, que Bolsonaro se tornará o próximo presidente do Brasil.

Publicidade

A votação ocorrerá no próximo dia 28 de outubro.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo