O secretário nacional de finanças do Partido dos Trabalhadores (PT), Emídio Souza, visitou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, nesta segunda-feira (29) e revelou a reação dele diante do recebimento do resultado da vitória de Jair Bolsonaro para presidente do Brasil.

De acordo com Emídio, Lula demonstrou "tranquilidade". A notícia da derrota de Fernando Haddad (PT) para Bolsonaro parecia ser algo já previsto por Lula.

Junto com Emídio, entrou para visitar o petista o advogado Luiz Eduardo Greenhalgh.

O secretário disse que ninguém espera um resultado como esse. Porém, isso faz parte e, segundo Emídio, o partido já perdeu e ganhou por várias vezes. Seria um ciclo normal.

Na próxima terça (30) ou na quarta-feira (31), será a vez de Haddad visitar Lula. Os dois conversarão sobre o resultado das eleições e já pensarão nos próximos passos para o futuro.

Enquanto Emídio falava com os jornalistas, a assessoria do movimento "Vigília Lula Livre" pediu que a entrevista fosse suspensa.

Sorte e sucesso

Haddad desejou ao presidente eleito Jair Bolsonaro sorte e sucesso. Ele estava sendo criticado por vários defensores do capitão de não ter dado os parabéns para o novo presidente. Porém, nesta segunda (29), Haddad mencionou o seu adversário.

Bolsonaro foi eleito com aproximadamente 55% dos votos válidos. O petista teve pouco menos que 45%. Através do seu Twitter, Haddad desejou sucesso para Bolsonaro e escreveu a seguinte frase: "Nosso país merece o melhor".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Lula

O candidato derrotado decidiu não fazer nenhuma ligação a Bolsonaro após o resultado das eleições. Ele falou aos seus eleitores que não precisavam ter medo e que ele estaria sempre junto com eles. "A vida é feita de coragem", disse.

A palavra coragem foi muito utilizada em seus discurso após o resultado do pleito. Segundo Haddad, ele aprendeu com seus antepassados a coragem para defender a Justiça a qualquer preço.

Angústia

O candidato do PT pretende seguir como oposição a Bolsonaro e aguarda um posicionamento do ex-presidente Lula sobre a sua função no partido. Ele afirmou que sentiu angústia em alguns momentos da campanha e medo em algumas expressões ouvidas.

Haddad citou que daqui a quatro anos vem outra eleição e é o momento de garantir a defesa das instituições. Segundo ele, vamos todos continuar exercendo a cidadania e buscando um país melhor.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo