Uma eventual vitória do candidato do PSL à Presidência da República, Jair Bolsonaro, já causa um certo temor no senador petista Lindbergh Farias. De acordo com uma publicação da revista Veja desta sexta-feira (19), assinada pelo jornalista Gabriel Mascarenhas, o petista não tem conseguido dormir e demonstra grande preocupação com o que vem pela frente.

Neste ano, mais propriamente em agosto, faltando dois meses para as Eleições, Lindbergh já estava com certa dificuldade para registrar a sua candidatura no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, denunciou supostos indícios de que o senador petista teria recebido R$ 700 mil, entre os anos de 2013 e 2014, para defender os interesses da construtora OAS no Congresso. Conforme as acusações, seria uma forma de influenciar decisões da presidente cassada, Dilma Rousseff (PT) no governo dela.

De acordo com o jornalista da Veja, uma vitória de Jair Bolsonaro seria algo péssimo para o senador. Ele teria confessado a um amigo que está morrendo de medo de ser preso assim que o capitão assumir o governo do Brasil.

Atrito

Lindbergh e Bolsonaro tiveram um atrito na semana passada através do Twitter. Primeiro, o candidato do PSL questionou supostas fraudes em programas sociais do PT. O senador rebateu e disse para Bolsonaro não fugir dos debates, enviando um vídeo de Haddad chamando ele para uma conversa. No vídeo, o candidato do PT pede para o deputado federal contar o que ele fez no Congresso durante os 28 anos de mandato.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

Bolsonaro reagiu com a hashtag #VaipraCuritiba, lembrando que o petista vive indo se encontrar com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Superintendência da Polícia Federal da capital paranaense.

Sem foro privilegiado

Vários parlamentares acabaram perdendo as eleições e terão pela frente processos para responder. Seus casos podem ser enviados para a primeira instância. Além de Lindbergh, outros nomes que perderão o foro privilegiado são: o presidente do Senado, Eunício de Oliveira (MDB), os senadores Edison Lobão (MDB), Garibaldi Alves Filho (MDB) e Romero Jucá (MDB).

Na lista de deputados federais estão Alfredo Nascimento (PR), José Otávio Germano (PP), Lúcio Vieira Lima (MDB), Marco Maia (PT), Milton Mont (PR) e Zeca do PT (PT).

No caso de Lindbergh Farias, o Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu enviar o seu caso à Justiça Federal de Nova Iguaçu. Cada caso depende do tipo de delito e da origem do inquérito.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo