O juiz federal Sergio Moro, responsável pelas investigações da Operação Lava Jato, é o nome cogitado para assumir o Ministério da Justiça no Governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. O objetivo do convite de Bolsonaro ao juiz federal, que ganhou grande notoriedade pela forma que conduz a Lava Jato, é para que, futuramente, Moro assuma uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF). A melhor forma do juiz chegar até ao Supremo é iniciando posição no Ministério da Justiça.

Publicidade
Publicidade

Moro já deu um aceno avaliando que poderia aceitar o convite do capitão. No entanto, neste próximo dia 1° de novembro, Bolsonaro se reunirá com o juiz federal no Rio de Janeiro para tratarem do possível compromisso de Moro com o ministério. Em outra ocasião, Moro avaliou: "Caso efetivado oportunamente o convite, será objeto de ponderada discussão e reflexão". O juiz poderá assumir o Supremo após a aposentadoria de dos ministros Celso de Mello e Marco Aurélio Mello.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Jair Bolsonaro

Jair Bolsonaro será responsável por escolher dois ministros durante seu governo.

Segundo informações do portal "Estadão", Moro teria se animado ao saber da fusão entre o Ministério da Justiça e a Segurança Pública. Dessa forma, o juiz teria controle operacional da Polícia Federal. Além do mais, o portal sinalizou que Moro falou para pessoas próximas que iria fazer "coisas boas" na Justiça.

Em entrevista para o SBT, Bolsonaro disse que tem interesse em indicar Moro ao cargo, porém não havia declarado anteriormente para não soar como oportunismo.

Publicidade

Na Rede Globo, Bolsonaro parabenizou o juiz, enfatizando que o magistrado se tornou um grande símbolo no combate a corrupção no Brasil. Moro coordenou a Lava Jato e foi responsável por sentenciar Lula. O ex-presidente está preso desde o dia 7 de abril.

Moro nas vésperas da eleições

Próximo às eleições presidenciais do primeiro turno, Sergio Moro colocou a vista da imprensa parte da delação do ex-ministro do PT, Antonio Palocci. Com isso, o Partido dos Trabalhadores chegou a abrir um reclamação no Conselho Nacional de Justiça sobre o caso.

O juiz afirmou que não tinha intenção em influenciar o resultados das eleições presidenciais.

Jair Bolsonaro foi eleito com mais de 57 milhões de votos, com ampla vantagem perante o petista Fernando Haddad.

O vice general Mourão

O vice eleito afirmou que a pessoa que comandará o Ministério da Justiça "certamente será alguém que tenha estatura moral perante o país".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo