Este último final de semana foi agitado nas redes sociais, onde um dos principais assuntos discutidos foi o fato do WhatsApp ter bloqueado a conta de Flávio Bolsonaro, do PSL, filho do presidenciável Jair Bolsonaro. Acusado de praticar spam, Flávio teve sua conta banida pela empresa, assim como centenas de milhares de usuários.

Na última quinta-feira (18), a BBC News Brasil já havia confirmado a notícia de que o aplicativo estava bloqueando vários usuários e isto chamou a atenção pelo fato de ser na semana que antecede a votação para o segundo turno.

De acordo com o WhatsApp, foi realizada uma ampla investigação, utilizando inclusive algumas ferramentas capazes de detectar envio de spam e assim os usuários puderam ser identificados e banidos. O motivo seria não apenas o envio repetido do mesmo conteúdo, como também por divulgarem discursos de ódio ou ofensas. A empresa ainda levou em consideração, a quantidade de vezes que determinados usuários foram excluídos ou bloqueados por outros, indicando que ele estava praticando algo indesejável.

De acordo com o porta-voz da empresa, são utilizados algoritmos inteligentes, capazes de notar certos padrões nos comportamentos dos usuários e quanto mais o tempo passa, melhor eles se tornam, assim podem detectar com maior facilidade a prática ilegal dos recursos oferecidos pelo aplicativo.

Folha de S. Paulo divulgou matéria polêmica

A notícia divulgada pelo jornal Folha de S. Paulo, de que várias empresas estariam pagando cerca de R$ 12 milhões para que agências realizassem envio em massa de mensagens no WhatsApp, apimentou ainda mais o assunto na internet.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro WhatsApp

Estas mensagens em massa estariam sendo usadas, segundo o Folha, para atacar Fernando Haddad, também candidato à presidência do Brasil.

Flávio Bolsonaro chegou a usar seu perfil no Twitter para alegar que estava sendo perseguido pelo WhatsApp. "A perseguição não tem limites", escreveu ele em sua postagem, alegando que foi 'banido do nada', sem ao menos receber uma explicação plausível.

Mas não demorou muito para o filho de Jair Bolsonaro comunicar que sua conta no WhatsApp já havia sido restabelecida, porém, não disse o que precisou fazer para que isso acontecesse.

A conta de Jair teria sido bloqueada antes de ser divulgada a notícia de que empresas estariam pagando uma fortuna para a prática de spam no aplicativo.

O PT já acionou a Justiça Eleitoral solicitando uma investigação para ver este suposto financiamento ilegal para a campanha de Jair Bolsonaro realmente aconteceu.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo