Os novos políticos eleitos no país no último final de semana sugerem que de fato, estão dispostos a acabar ou diminuir com a criminalidade que assola o Brasil não é de hoje. Tanto é assim, que Wilson Witzel (PSC), o novo governador eleito do Rio de Janeiro, falou na última terça-feira (30) em entrevista à GloboNews, que solicitará ao governo federal a permanência das Forças Armadas na capital fluminense até outubro de 2019.

Entretanto, algo que tem levantado uma série de comentários a favor e também contra, é que Witzel no transcurso da conversa com os jornalistas, revelou que solicitou tanto ao Bope (Batalhão de Operação Especiais da Polícia Militar) e à Core (Coordenadoria de Recursos Especiais da Polícia Civil), o levantamento acerca de quantos snipers (atiradores de elite) as instituições citadas possuem em seus quadros de agentes.

O objetivo do pedido do novo governador do Rio é um só, isto é, que os traficantes vistos portando fuzis, possam ser imediatamente abatidos pelos snipers, de modo que esses profissionais não sejam incriminados pelas eventuais mortes provocadas na bandidagem.

Atiradores de elite das polícias vs. traficantes

Witzel foi categórico em dizer que incentivará aos atiradores de elite que atirem para matar quando avistarem suspeitos portando fuzis; porém, não assegurou, que caso isso venha a acontecer, de que esses agentes continuem atuando pelas polícias do Rio de Janeiro, se forem condenados a nível judicial.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Polícia Jair Bolsonaro

Por outro lado, o novo governador prometeu que os policiais serão muito bem defendidos nos processos judiciais.

Sendo assim, Wilson frisou que todas as pessoas que foram mortas por engano quando portavam furadeiras e guarda-chuvas, não foram alvejadas por snipers, mas por policiais muitas vezes sem tanto preparo.

O ex-juiz federal Witzel complementou afirmando que opta por defender um policial no tribunal do que ter de comparecer no funeral do mesmo, ou seja, “atirou, matou, está correto", concluiu o governador eleito.

Outras medidas de segurança

Witzel continuou falando um pouco mais sobre os seus planos de segurança para o Estado fluminense e sua população, onde convidará o general Walter Souza Braga Netto, interventor na Segurança Pública do Rio, para que integre um denominado conselho de segurança pública entre autoridades específicas do Rio e do governo federal.

Apoio dos parlamentares

Quanto ao fato do governador não possuir apoio massivo na Assembleia Legislativa (3 deputados o apoiam, 30 fazem oposição, 27 sem posição definida e 10 são neutros), o contexto fará com que Witzel tente levar ao PSC os deputados que estão sem partido, além obviamente do diálogo com a oposição.

Definição de sniper

Trata-se de um apelido na língua inglesa referente aos atiradores de elite, os quais se utilizam de fuzis dotados de miras telescópicas e que facilitam os disparos de alta precisão em relação a alvos localizados a mais de 800 metros de distância.

Witzel, que apoia o presidente Jair Bolsonaro, reforçou no término de sua fala ter participado de inúmeros tribunais do júri por causa de policiais acusados de matar bandidos armados, mas todos eles foram inocentados, ou seja, conforme o governador, "bandido de fuzil na mão não é gente que preste".

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo