O juiz federal Sergio Moro, desde que decidiu comandar o superministério da Justiça do Governo do presidente eleito, Jair Bolsonaro, é alvo de críticas. O PT (Partido dos Trabalhadores), um dos partidos que mais se prejudicou nas investigações anticorrupção, evidenciou que Moro agiu de forma parcial na condenação do ex-presidente. Com isso, a defesa do petista entra com recursos para conseguir o cancelamento da sentença contra Lula. No entanto, Moro recebeu uma nota em que 154 procuradores do Ministério Público Federal (MPF) declaram apoio ao juiz da Lava Jato.

Publicidade
Publicidade

O documento diz que, durante todo o processo de investigações da Operação Lava Jato, e também de todos os anos de magistratura, Moro sempre demonstrou grande saber jurídico. Além do mais, cita que o juiz age com o que há de mais moderno contra a macrocriminalidade. Moro ganhou notoriedade por colocar na cadeia grandes nomes da sociedade, incluindo o ex-presidente Lula e empresários.

A nota afirma que a decisão do juiz em abandonar a magistratura para assumir um cargo no governo revelou um "extraordinário desprendimento pessoal, em benefício do Brasil e dos interesses da sociedade".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Sergio Moro

Além do mais, citam que o posicionamento de Jair Bolsonaro ao colocar Sergio Moro no cargo mostra uma reafirmação com o combate à corrupção e lavagem de dinheiro que tanto assombra o Brasil.

Os procuradores enfatizam na nota claro apoio a Bolsonaro e à indicação de Sergio Moro, e visam que o objetivo é construir uma sociedade pacífica, justa e solidária.

Sergio Moro no governo Bolsonaro

O futuro ministro da Justiça, nesta última quarta-feira, dia 7, disse esperar contar com o ministro de Michel Temer, Raul Jungmann.

Publicidade

Moro citou que Jungmann seria um "conselheiro informal" do novo governo. Após encontro em Brasília, Moro fez a declaração no Palácio da Justiça.

Sergio Moro declarou que a experiência de Jungmann na área de gestão e segurança pública são essenciais. Além do mais, no governo Bolsonaro, a pasta do Ministério da Justiça, também chamada de superministério, será a junção da Justiça com a própria Segurança Pública.

O ministro Raul Jungmann declarou que estará à disposição do governo, tanto agora quanto depois.

Sergio Moro disse que manterá uma relação cordial com o ministro, e que isso facilitará a transição do governo. O futuro ministro também salientou à imprensa que o trabalho de Jungmann é muito importante na área da segurança pública.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo