Nesta quarta-feira (07), o candidato derrotado do PT na eleição presidencial, Fernando Haddad, e alguns advogados visitaram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, onde o petista cumpre pena por corrupção e lavagem de dinheiro na ação penal do triplex em Guarujá.

Segundo relatos dos visitantes, Lula estaria decepcionado com várias coisas. Ele está cético em relação aos julgamentos e sentenças que terá pela frente.

O petista vê o caminho difícil e acredita que a turbulência que existe no Brasil é desfavorável para que haja uma análise serena de sua defesa.

Lula teria falado de vários outros pontos na conversa com Haddad e os advogados. Ele comentou que não esperava que o ex-governador do Ceará e terceiro na eleição ao Planalto, Ciro Gomes, fosse agir da maneira como agiu contra o PT. Ciro decidiu declarar um apoio crítico a Haddad, entretanto, após o resultado do primeiro turno das eleições, viajou para a Itália e não participou da campanha do petista.

Ciro chegou a dizer que foi o próprio PT que proporcionou o avanço de Jair Bolsonaro. Vale ressaltar que o pedetista não teve apoio do ex-presidente Lula na campanha, o que lhe incomodou.

No entanto, Lula afirmou que sabe separar questões políticas das pessoais e elogiou Ciro. Segundo o ex-presidente, o pedetista "é um ser humano que vale a pena".

Atitude de Moro

A conversa entre Lula e os advogados entrou na parte sobre a indicação de Sergio Moro para chefiar o Ministério da Justiça.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Sergio Moro Lula

De acordo com os relatos dos visitantes, Lula teria dito que sempre acreditou que o magistrado fosse entrar na política. Contudo, afirmou que se surpreendeu com a rapidez da aceitação do juiz, poucos dias depois do segundo turno.

Moro já realizou várias reuniões em Brasília para começar o governo de transição. Nesta quarta (07), ele se reuniu com o ministro atual da Segurança Pública, Raul Jungmann, e vários outros integrantes da pasta.

O magistrado pretende até dezembro já deixar o cargo de juiz para estar pronto para chefiar a Justiça.

Em entrevistas, Moro agradeceu pela ajuda de Jungmann em repassar todos os detalhes da pasta para ele. O juiz citou que vários outros encontros serão combinados.

Futuro no partido

De acordo com as informações da coluna Painel, da Folha de S.Paulo, Haddad não assumirá cargo no PT. Ele teria combinado com Lula que seguirá nas questões políticas, mas não partidárias.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo