O presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) fez uma live em seu Facebook na noite dessa última sexta-feira, (9). Durante a transmissão, afirmou que a partir do próximo ano, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) não terá mais ‘viés ideológico’, e criticou pesadamente uma questão da prova desse ano de 2018, que tratava de uma linguagem falada por gays e travestis, o Pajubá.

“Não vai ter questão desta forma ano que vem, porque nós vamos tomar conhecimento da prova antes”, disse o presidente eleito.

Publicidade
Publicidade

Para ele, é um absurdo que uma prova que qualifica jovens que estão saindo do ensino médio para tentar ingressar em uma instituição de ensino superior, trate de um tema que "não tem nada a ver".

“O que temos a ver com isso, meu Deus do céu?”, disse Bolsonaro. “Vai obrigar a molecada a se interessar por isso agora", contou. Para ele, quem deve orientar questões de sexo para os filhos, são os próprios pais.

Pajubá: o "dialeto secreto"

Pajubá, é um "dialeto secreto" utilizado por travestis e gays e foi o tema central da questão da prova do Enem.

Nela estava o texto:

Bolsonaro anunciará ministro da Educação

Em seguida, Bolsonaro disse que já está muito perto de fazer o anúncio do futuro ministro da educação, que estará ao lado dele para observar questões como essa do Enem.

Jair Bolsonaro disse que prefere que as crianças e adolescentes passem a dar importância ao trabalho e a dedicação em assuntos que lhe deem um futuro melhor, e não a algo menor, como, segundo ele, é a questão de ideologia de gênero: “Se você quer ser feliz com outro homem, vai ser feliz!”, incentivou o presidente eleito do Brasil.

Publicidade

Ele disse que não tem preconceito com quem estiver interessado em passar a vida com outra pessoa do mesmo sexo, porém, só é contra que temas como esse seja inseridos na educação nacional.

Leia tudo