O presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro, revelou nesta quarta-feira (7) que o Ministério do Trabalho, criado há 88 anos, perderá o status de ministério e será incorporado a alguma outra pasta, sem dar detalhes de qual.

A declaração foi dada em entrevista após um almoço no STJ (Superior Tribunal de Justiça), oferecido pelo presidente do tribunal. O juiz Sergio Moro, futuro ministro da justiça, também participou da confraternização.

Em meio às especulações sobre a incorporação, o Ministério do Trabalho publicou uma nota no qual diz que "o futuro do trabalho e suas múltiplas e complexas relações precisam de um ambiente institucional adequado para a sua compatibilização produtiva, e o Ministério do Trabalho, que recebeu profundas melhorias nos últimos meses, é seguramente capaz de coordenar as forças produtivas no melhor caminho a ser trilhado pela Nação Brasileira, na efetivação do comando constitucional de buscar o pleno emprego e a melhoria da qualidade de vida dos brasileiros"

Militar na defesa

Durante a entrevista, Jair também confirmou os rumores de que o conhecido general Augusto Heleno realmente assumirá o cargo de ministro do GSI (Gabinete de Segurança Institucional) durante o seu governo.

Agora o comando da Defesa ficará a cargo de um oficial-general de quatro estrelas, o mais alto escalão das carreiras no Exército, Marinha ou Aeronáutica.

Até o momento o presidente eleito não disse de qual Força virá o ministro. No entanto, Bolsonaro afirma que o nome escolhido já está "engatilhado".

Magno Malta pode ser ministro no governo de Bolsonaro

O senador Magno Malta (PR-ES), que é um grande aliado do presidente eleito, não conseguiu se reeleger para fazer parte do Congresso. Durante a mesma entrevista, Bolsonaro contou que existem possibilidades de que Malta se torne ministro em seu futuro governo.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Petrobras

Petrobras e Banco Central

O presidente eleito também informou sua pretensão em manter Ilan Goldfajn no controle da presidência do Banco Central (BC). Entretanto, ele ressaltou que irá ter uma conversa com Paulo Guedes, que é o futuro ministro da Economia. O presidente eleito ainda revelou que vai decidir se Ivan Monteiro seguirá na presidência da Petrobras.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo