Segundo informações do colunista Frederico Vasconcelos, do jornal Folha de S.Paulo, o presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro, participará de um simpósio na cidade do Rio de Janeiro, relacionado ao combate à Corrupção em todo o país. O Simpósio Nacional de Combate à Corrupção será realizado nesta sexta-feira (23), no Centro Cultural da Fundação Getúlio Vargas. O evento é promovido pela Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal (ADPF) e pela Escola de Direito do Rio de Janeiro da Fundação Getulio Vargas (FGV Direito Rio).

Publicidade
Publicidade

Presenças de destaque em evento no Rio de Janeiro

Dentre as presenças confirmadas no evento, estão o futuro ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, o juiz federal de primeira instância no Rio de Janeiro Marcelo Bretas e a futura chefe do Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional, Erika Mialik Marena. Segundo o colunista, a cerimônia de encerramento contará com a presença de Bolsonaro, do futuro governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, o prefeito Marcelo Crivella, o diretor da Associação Nacional dos Delegados da Polícia Federal no estado do Rio de Janeiro, Erick Blatt.

Dentre os assuntos que serão debatidos no evento de combate à corrupção, encontram-se temas relacionados à percepção da corrupção no país, além de iniciativas de prevenção às práticas corruptivas, a recuperação de ativos e trabalhos de repressão aos crimes de ordem financeira. É aguardado que o discurso de abertura do Simpósio Nacional de Combate à Corrupção seja proferido pela atual Superintendente da Polícia Federal no estado de Sergipe, Erika Marena.

Publicidade

Sergio Moro decidiu pela exoneração do cargo de juiz federal de primeira instância, quando conduzia a força-tarefa de investigação da Operação Lava Jato, da Polícia Federal. Moro era o magistrado titular da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba e apurava crimes relacionados ao mega esquema de corrupção e distribuição de propinas oriundos dos cofres públicos da maior estatal brasileira, a Petrobras. A exoneração do ex-magistrado foi confirmada na última segunda-feira (19).

Os inquéritos relativos às investigações da força-tarefa da Operação Lava Jato ficam, até o momento, sob a alçada da juíza federal Gabriela Hardt, substituta de Sergio Moro no tribunal de primeira instância, em Curitiba.

Leia tudo