Nesta última segunda-feira, 26 de novembro, a Operação Élpis entra em ação envolvendo a Penitenciária Agrícola de Monte Cristo, em Boa Vista, a maior de Roraima. Há cerca de 14 dias os governos federal e de Roraima concordaram com a transferência da gestão dos presídios até o dia 31 de dezembro para forças federais. Com isso, nesta segunda-feira o Depen (Departamento Penitenciário Nacional) e o Ministério da Segurança Pública deflagraram a operação que visa o estabelecimento e reorganização do local.

No momento, a administração da penitenciária está sob o controle dos agentes federais. Cerca 250 integrantes, que incluem membros da Força Nacional, Polícia Rodoviária Federal, Polícia Federal, Exército e também agentes estaduais, que incluem policiais militares e civis além da Secretaria de Justiça e guarda-civil de Boa Vista entram em ação.

As Forças federais ingressaram com forte aparato de segurança. Isso começou por volta das 16h desta segunda-feira. A operação também colocou agentes fora das penitenciárias para reforçar a segurança de forma preventiva nas ruas de Boa Vista.

Tácio Muzzi, diretor-geral do Depen, enfatizou que esta sendo a primeira ação concreta após a análise dos governos sobre a situação da penitenciária. No dia 13 de novembro foi assinado o acordo que permitiu que a União tomasse conta do local.

O objetivo da ação é para a "retomada do estabelecimento" e também a "reorganização" dos presos, para que não ocorram mais novos crimes.

Detentos

Com a operação, os detentos serão trocados de celas e passarão por revistas.

Tudo isso já começou a ser feito. Após esses efeitos, posteriormente a penitenciária terá segurança reforçada e também conseguirá oferecer melhores condições aos detentos.

O diretor-geral da Depen contou que serão investidos cerca de R$ 53 milhões em obras de melhoria no sistema prisional estadual. Desse valor, apenas para a Penitenciária do Alto Cristo serão colocados 10 milhões de reais. Muzzi disse que essa penitenciária abriga metade dos presos de Roraima e apresenta os maiores problemas do Estado.

"Um grande problema para o estado de Roraima no que diz respeito ao sistema penitenciário", disse o diretor-geral.

No período de intervenção federal, Paulo Rodrigues da Costa foi escolhido como o administrador do sistema prisional. Ele garantiu que parentes poderão ficar tranquilizados, pois os Diretos dos presos serão respeitados.

Siga a página Governo
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!