Através das redes sociais, Deltan Dallagnol, o procurador da República que ganhou notoriedade na mídia devido a operação Lava Jato, comentou sobre o juiz Sergio Moro no futuro governo Bolsonaro. Dallagnol avaliou que Moro terá muito mais importância em Brasília do que em Curitiba. Na capital paranaense, o juiz lutou, segundo Dallagnol, contra "engrenagens" de um sistema. Porém, em Brasília, Moro poderá "mudar as engrenagens desse sistema".

Sobre a situação da Lava Jato, Dallagnol avaliou que os investigadores sentem-se médicos que diagnosticaram uma doença, porém mesmo com a recomendação de tratamento, este tratamento nunca chegou a se concretizar. Dallagnol comparou a situação da Lava Jato que evidenciou crimes de corrupção e ainda há muitas coisas a serem esclarecidas.

Um ponto que Dallagnol levantou foi sobre o livro "10 Medidas contra a Corrupção", elaborado pela Transparência Internacional e pela Fundação Getúlio Vargas (FGV).

O procurador lamentou que nenhuma das propostas apresentadas foi convertida em Lei até o momento. Sergio Moro já citou o livro e enfatizou que utilizará medidas para serem colocas através de projetos enviados para o Congresso Nacional.

Dallagnol gravou o vídeo disponibilizado nas redes sociais no mesmo dia em que o corregedor nacional de Justiça, Humberto Martins, pediu explicações de Sergio Moro sobre acusações vindas de deputados petistas que enfatizam a relação entre o governo Bolsonaro com as investigações da Lava Jato.

Sergio Moro, durante primeira entrevista coletiva, enfatizou que não há relação entre sua indicação ao Ministério da Justiça com as investigações do ex-presidente Lula.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Sergio Moro

Moro chegou a dizer que Lula está preso porque cometeu crimes. Além do mais, lembrou que os desembargadores do Tribunal Regional Federal da 4° Região também foram os responsáveis por condenar Lula.

O juiz também comentou sobre acusações de "perseguição política". Moro disse que não pode basear sua vida pública "num álibi falso de perseguição política". Entre os argumentos do PT, enfatizam que Lula é "preso político" e inocente de todos os crimes apontados contra o petista.

Moro pode mudar um sistema

Dallagnol frisou que o juiz da Lava Jato Sergio Moro poderá mudar um sistema, ao invés de assumir apenas um caso concreto. Dessa forma, o juiz de Curitiba adotará uma postura ainda mais relevante com as investigações da Operação Lava Jato, que já colocou na cadeia grandes nomes da sociedade.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo