O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, preso desde o último dia 7 de abril pela Polícia Federal, tentou, juntamente com seus advogados de defesa, todos os recursos possíveis para reverter a condenação. Nesta última semana, Lula prestou depoimento para a juíza Gabriela Hardt, na 13ª Vara Federal de Curitiba, pelo processo que envolve um sítio em Atibaia.

O petista, no entanto, teria surpreendido juízes de tribunais superiores em Brasília, segundo informações da coluna de Mônica Bergamo, da Folha de S.Paulo.

Publicidade
Publicidade

A aparência de Lula, após oito meses na cadeia, é de envelhecimento. Algumas partes do depoimento, em trechos em que a juíza de Curitiba, substituta de Sergio Moro, fez reprimendas chamaram a atenção.

Ideia de ex-ministro do Supremo poderá ser reconsiderada

Neste ano, o ex-ministro do Supremo e advogado de Lula, Sepúlveda Pertence, tinha dado a ideia de prisão domiciliar. No entanto, gerou atrito com outros membros da defesa de Lula, que desconsideraram a proposta.

Na época, o descontentamento entre as partes fez com que Sepúlveda pensasse em abandonar a defesa do petista.

No entanto, segundo informações da coluna da Folha, prisão domiciliar voltou a ser discutida, por mais que ainda esteja como uma possibilidade remota. Advogados podem levar em consideração o tempo que Lula permanece preso e todas as tentativas já feitas na Justiça, que até agora não foram suficientes para tirar o petista da carceragem da PF.

Publicidade

A coluna da Folha ressalta que a possibilidade de prisão domiciliar foi reconsiderada há alguns meses. No entanto, conforme a mudança de composição no STF, teria ficado para trás. O ministro Dias Toffoli saiu da Segunda turma do Supremo para assumir a presidência da Corte. Com isso, a ministra Cármen Lúcia, que exercia o papel na presidência, foi transferida para a vaga de Toffoli, fazendo a nova composição da Segunda turma de ministros.

PT tentou a Presidência novamente

Mesmo preso, o ex-presidente Lula tentou se candidatar à Presidência da República nas eleições deste ano.

Entretanto, a Justiça proibiu tal fato. Como representante do Partido dos Trabalhadores (PT), Fernando Haddad entrou na disputa presidencial.

O ex-prefeito de São Paulo acabou perdendo com ampla vantagem para Jair Bolsonaro. A época eleitoral se tornou tensa pela polarização entre esquerda e direita. Bolsonaro é um dos maiores críticos ao PT e à esquerda brasileira.

Leia tudo