Na manhã desta terça-feira (13), o presidente eleito Jair Bolsonaro, por meio de uma postagem nas redes sociais, confirmou que o general Fernando Azevedo e Silva será o Ministro da Defesa em seu governo. A pasta era para ser inicialmente pelo General Augusto Heleno, que assumirá o Gabinete de Segurança Institucional.

“Comunico a todos a indicação do General-de-Exército Fernando Azevedo e Silva para o cargo de Ministro da Defesa”, escreveu o presidente eleito em sua conta no Twitter.

Publicidade
Publicidade

O nome escolhido mantém o perfil de general quatro estrelas que Bolsonaro queria para o cargo.

O futuro ministro, que neste ano passou para a reserva, foi chefe do Estado-Maior do Exército. Atualmente, o general assessora o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli.

Em Brasília

O anúncio do nome do novo Ministro da Defesa foi feito pelo presidente eleito logo após ele chegar a Brasília no início da manhã desta terça-feira (13), onde se encontrará com autoridades.

Publicidade

De tarde, estão marcados encontros com presidente de tribunais superiores.

Dentre os assuntos a serem tratados nessa nova visita à capital federal, passou dois dias lá na semana passada, está a proposta de reforma da Previdência Social. Bolsonaro deseja que o congresso aprove algum item da reforma ainda em 2018, mas considera que isso é algo difícil de acontecer.

Ele também tem compromissos agendados para a quarta-feira (14), quando se encontrará com o presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM-RJ), no Congresso Nacional e conversar com demais colegas deputados.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro

Mais ministros

O futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, disse que nos próximos dias o presidente eleito anunciará os nomes de novos ministros que comporão seu governo. Bolsonaro pretende reduzir pela metade o número de ministérios. Com isso, passaria a ter somente 15 minutos ao invés dos atuais 29. Algumas pastas serão extintas enquanto que outras serão incorporadas a outros ministérios.

A expectativa é que sejam anunciados os titulares para Relações Exteriores e Meio Ambiente.

O médico e deputado federal Luiz Henrique Mandetta (DEM-MS) é um nome contado para ser o ministro da Saúde. Eles, inclusive, já tiveram uma conversa no Rio de Janeiro.

Além de Onyx Lorenzoni, que ocupará a Casa Civil, já foi confirmado os nomes de Paulo Guedes, para a economia, Augusto Heleno, para a segurança institucional, Marcos Pontes, Ciência e Tecnologia, Série Moro para Justiça e Segurança Pública, Tereza Cristina para a Agricultura, além do Fernando Azevedo e Silva para a Defesa.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo