Uma das pastas mais destacadas no futuro Governo do presidente eleito Jair Messias Bolsonaro, o Ministério da Defesa, deverá ser assumido pelo general da reserva do Exército brasileiro, Augusto Heleno, considerado um dos homens mais próximos do futuro mandatário do país. O militar concedeu uma entrevista à imprensa, especialmente, à Rádio Eldorado, na manhã desta quarta-feira, (31) de outubro.

O general Augusto Heleno se referiu sobre a possibilidade de que venha a assumir o Ministério da Defesa, como um cargo que o honraria muito e uma verdadeira realização profissional poder comandar essa pasta no futuro governo que se inicia em janeiro de 2019.

O general da reserva discerniu sobre diversos temas, principalmente, em se tratando de um dos mais complexos; a situação dos direitos humanos no governo de Jair Bolsonaro. Entretanto, o general afirmou que só poderá falar realmente como titular da pasta da Defesa quando seu nome estiver no Diário Oficial da União (DOU).

Augusto Heleno foi taxativo, ao afirmar que "teria idade suficiente para que não alimentasse nada que não fosse realidade ainda, pois prefere a confirmação de seu nome no Diário Oficial da União (DOU)".

O militar salientou que teria uma reunião agendada com o futuro ministro da Casa Civil, Onix Lorenzoni, nesta mesma quarta-feira, para tratar de assuntos relacionados à transição de governo.

Papel dos direitos humanos no governo Bolsonaro

De acordo com a avaliação do general Augusto Heleno, talvez não seja necessário que deva existir uma pasta relacionadas aos Direitos Humanos, mas sim, uma secretaria que cuide desse tema.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Ao ser indagado a respeito desse assunto, o mesmo emendou que "o tema relativo aos direitos humanos é de extrema relevância e se houver uma mudança de estrutura, não irá mudar a sua importância". O general ressaltou, no entanto, que não estaria ocorrendo um progresso na tentativa de redução da criminalidade no Brasil e que o mesmo também não estaria ocorrendo na contenção do crime organizado.

Entretanto, Heleno disse que é algo fundamental, o respeito aos direitos humanos, no que tange à resolução desses graves problemas brasileiros, mas o general afirmou que haveria uma "inversão de valores nessa história", segundo a opinião do militar.

Ele argumentou ainda, que "direitos humanos seriam basicamente para humanos direitos". O general Augusto Heleno concluiu que "essa percepção, muitas vezes, não estaria, de fato, acontecendo e que estaríamos deixando a desejar no combate à criminalidade no país".

O militar acredita que o Brasil esteja enfrentando uma crise ética, moral, econômica e também de caráter social, o que estaria levando a todos à beira do abismo e para que se consiga realmente sair dessa situação, torna-se necessário que os governantes deem bons exemplos.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo