A edição desta sexta-feira (2) do jornal O Globo divulgou uma notícia sobre um suposto novo imposto que poderia ser implantado no futuro governo de Jair Bolsonaro, similar à CPMF, porém, com alguns diferenciais. Ainda pela manhã, o presidente eleito postou uma mensagem em seu Twitter criticando a publicação: "Desautorizo informações prestadas junto a mídia por qualquer grupo intitulado 'equipe de Bolsonaro', especulando sobre os mais variados assuntos, tais como CPMF, Previdência e etc", escreveu o presidente.

A revolta de Bolsonaro

Logo que começou a circular a notícia de que um imposto similar à CPMF poderia ser lançado no novo governo, Jair Bolsonaro postou uma mensagem desautorizando qualquer tipo de informação sobre recriação da CPMF, o que agitou ainda mais as redes sociais.

Segundo a reportagem de O Globo, a equipe econômica de Bolsonaro quer lançar um novo imposto sobre movimentações financeiras e o objetivo desta vez seria acabar com a contribuição que é paga ao INSS pelas empresas que fazem o recolhimento através dos salários pagos aos trabalhadores.

Este imposto é muito parecido com a CPMF, mas a equipe econômica não quer saber de comparações, pois garante que neste caso não será um novo imposto e sim, uma substituição.

Acredita-se que com este novo imposto, sejam arrecadados mais de R$ 275 milhões por ano.

Esta não foi a primeira vez que o presidente eleito desautorizou informações divulgadas por algum membro de sua equipe econômica, por exemplo, enquanto ele estava em campanha eleitoral, teve problema com Paulo Guedes, seu futuro ministro da Fazenda, que chegou a defender o retorno da CPMF, além da criação de um novo imposto de renda.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Televisão

Como Bolsonaro ainda era candidato à Presidência do Brasil, a declaração não teve uma repercussão tão grande como foi agora.

Mas já naquela ocasião, o político mostrou que seu perfil no Twitter seria um dos principais canais para ele mostrar sua versão. Confira a postagem feita nesta primeira declaração polêmica, de sua equipe econômica.

Na postagem feita hoje, foram mais de 14 mil compartilhamentos até agora e milhares de comentários, contra e a favor de um suposto imposto que seria parecido com a CPMF.

Veja também

Sergio Moro aceita ser ministro de Jair Bolsonaro e não interrogará o ex-presidente Lula

WhatsApp bloqueou filho de Jair Bolsonaro e outros milhares de usuários por causa de spam

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo