O serviço de inteligência da Polícia Federal está apurando quem são os responsáveis por trás de duas ameaças de morte que foram registradas em vídeo contra o presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL). O filho do político, Carlos Bolsonaro, divulgou as imagens e repudiou as ofensas contra seu pai.

Segundo o vereador Carlos Bolsonaro, não se pode menosprezar ataques verbais e, para provar o grande problema da criminalidade no país, ele compartilhou em seu Twitter os vídeos.

O filho do capitão reformado disse que a forma como esses delinquentes são tratados no país é algo errado e só tem a dar forças para eles continuarem querendo dominar tudo. De acordo com Carlos, isso é um tipo de ameaça que todo brasileiro vive diariamente. As leis e a Justiça no país são fracas e proporcionam que esses bandidos abusem de todos. Entretanto, o vereador afirmou que isso vai acabar em breve.

Em um dos vídeos, um homem evita mostrar seu rosto e aponta um fuzil em direção a um local escuro e faz as ameaças. Na outra gravação, um homem segura duas pistolas e diz: "Bolsonaro, tu vai entrar na bala". Esse rapaz não se importou em mostrar o rosto no vídeo e ficou bem de frente com a câmera.

Facção criminosa

Os agentes da Polícia Federal buscam descobrir quem são os responsáveis pelos vídeos e pela ameaças feitas ao presidente eleito, Jair Bolsonaro.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro

Há a suspeita de que sejam bandidos ligados à facções criminosas.

Um dos pontos que está sendo apurado é se os bandidos gravaram o vídeo apenas para buscar fama ou se estão planejando algum ataque.

O futuro ministro do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), general Augusto Heleno, chegou a comunicar ao jornal Extra que foi informado sobre um plano terrorista contra o capitão. Os dizeres do general antecederam a divulgação dos vídeos feita por Carlos Bolsonaro no Twitter.

Ainda não foram passadas mais informações sobre quais seriam as atuações da PF nesse caso. Contudo, reuniões já foram feitas com a Agência Brasileira de Inteligência (Abin).

Jogo no domingo

Mesmo sendo alvo de várias ameaças e toda a questão da segurança em volta, Bolsonaro pretende ir ao jogo de Vasco e Palmeiras nesse próximo domingo (25). No entanto, a equipe de segurança dele tenta tirar isso de sua cabeça, pois o colocaria em situação de risco.

Desde que foi alvo de um ataque com faca em Juiz de Fora, Minas Gerais, durante campanha eleitoral, o presidente eleito vive com colete à prova de bala em todos os lugares que vai.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo