Nesta última quarta-feira, 14 de novembro, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva depôs para a juíza Gabriela Hardt em Curitiba, Paraná. A juíza está substituindo Sergio Moro, após o magistrado tomar a decisão de assumir o Ministério da Justiça no próximo governo.

O depoimento sobre o sítio de Atibaia começou tumultuado. Já no início é possível ver claro desentendimento entre a juíza, Lula e os advogados de defesa.

A conversa durou cerca de 2 horas e meia e Lula negou todas as acusações. O ex-presidente, que já foi condenado por corrupção e lavagem de dinheiro em outra ação penal, disse para a juíza que ele está sendo um "troféu" que a Operação Lava Jato "precisava entregar".

Durante a oitiva, o ex-presidente também disse que estava constrangido com a situação e que seu papel é tentar desmentir todas as acusações apontadas para ele.

A juíza Gabriela Hardt evitou que outros assuntos, que não fossem referentes ao sítio de Atibaia, entrassem em questão. Lula, porém, lembrou do episódio em que o procurador da República Deltan Dallagnol apresentou um slide no Power Point e apontou o petista como o chefe de uma organização criminosa.

Em depoimento, o petista disse que no dia do Power Point de Dallagnol ele pretendia convocar a militância do PT para entrar na Justiça contra o Ministério Público Federal.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Lava Jato Sergio Moro

Subindo o tom, a juíza pediu que o ex-presidente não estimulasse essa postura. "O senhor está estimulando os filiados ao partido a tumultuarem o processo e os trabalhos. Se isso acontecer, o senhor será responsável", afirmou a juíza.

Lula se lembra de Sergio Moro

Em outro momento do depoimento, Lula citou que Sergio Moro seria "amigo" de Alberto Yousseff. Com isso, a juíza reagiu e disse para o petista "parar com isso".

Lula se referiu a Moro no momento em que explicava sobre como eram feitas as indicações para a Petrobras, em resposta a pergunta de seu advogado, Cristiano Zanin Martins.

O processo no qual Lula responde também avalia a relação do petista com um esquema criminoso que ocorreu na estatal. Foi aí, então, que o Ministério Público chegou a apontar Lula como o comandante chefe da organização criminosa. Com isso, Lula associou Sergio Moro com Yousseff, fazendo relação com o caso Banestado (Banco do Estado do Paraná).

A juíza retrucou e disse que Lula não pode fazer acusações de seu colega naquele depoimento.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo