O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato no Paraná, aceitou nesta última quinta-feira (1°) se tornar o ministro da Justiça no Governo do presidente eleito Jair Bolsonaro. Com isso, terá que se afastar da magistratura para assumir a pasta.

A substituta de Sergio Moro será Gabriela Hardt. A magistrada será responsável pelos inquéritos do ex-presidente Lula, que responde pelos crimes de corrupção, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

Publicidade
Publicidade

Hardt vai assumir os processos interinamente, até que a vaga de juiz titular seja ocupada através de concurso.

Segundo informações do Estadão, Gabriela é "mais mão pesada que Moro". Foi ela quem mandou prender o ex-ministro do PT José Dirceu. O próximo interrogatório de Lula iria ocorrer no próximo dia 14 de novembro, no entanto, com a mudança de Sergio Moro na aceitação do Ministério, o interrogatório foi cancelado e será adiado para outra data.

Pela forma como decretou prisão ao ex-ministro do PT, Gabriela Hardt mostra que será firme em sua decisão perante Lula. Além do mais, segundo informações do portal O Antagonista, o posicionamento de Hardt poderá indicar que a Justiça agiu imparcialmente no caso do ex-presidente. Há questionamentos se Moro agiu de forma política, ou não, no caso do petista. A magistrada já substituiu Moro em outras ocasiões.

Sergio Moro assume superministério

O ministério da Justiça terá o comando de Sergio Moro a partir do próximo ano.

Publicidade

Nesta quinta-feira a notícia de confirmação fez com que o Ibovespa subisse. Moro foi até a residência de Jair Bolsonaro, no Rio de Janeiro, para aceitar o convite para comandar a pasta.

O juiz da Lava Jato ganhou grande notoriedade por comandar as investigações envolvendo corrupção e lavagem de dinheiro de grandes nomes de sociedade. Moro colocou Lula na cadeia e o petista cumpre pena desde o dia 7 de abril.

O objetivo de assumir o ministério seria para, futuramente, poder pleitear uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF). Após a aposentadoria de Celso de Mello e Marco Aurélio Mello, Moro pode assumir a vaga ainda no mandato de Jair Bolsonaro.

Reação de ministros

O ministro do Supremo, Luiz Fux, avaliou que Moro é um "excelente nome" para assumir o ministério da Justiça. Fux disse que Moro se tornou símbolo no combate à corrupção e à impunidade.

Leia tudo