Após aceitar o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro para comandar o Ministério da Justiça, o juiz federal Sergio Moro elevou seu patamar como magistrado e estará de frente com um superministério no governo do capitão reformado. No entanto, a chegada de Sergio Moro não agradou alguns juristas e políticos. Na mídia foi possível encontrar algumas críticas sobre a nomeação.

Segundo informações do jornal O Globo, a chegada de Sergio Moro em Brasília vai reabrir uma das disputas mais marcantes no tema de combate a corrupção: as prisões.

Publicidade
Publicidade

A prisão preventiva sempre foi defendida pelo juiz Sergio Moro e agora, como ministro, é provável que Moro continue com este forte entendimento da necessidade da prisão preventiva em casos de corrupção.

Do lado oposto, o ministro do Supremo Tribunal Federal gilmar mendes se contrapõe. Mendes acredita que as prisões preventivas são abusivas e também já fez críticas sobre as condenações dadas em Curitiba, avaliando que são alongadas prisões. Mendes e Moro poderão iniciar então, uma "disputa silenciosa" sobre o tema.

Com o comando do superministério, Sergio Moro poderá propor no Congresso medidas fortes e concretas no trabalho contra a corrupção e lavagem de dinheiro. Além do mais, o futuro ministro já evidenciou o poder das prisões durante os trabalhos investigativos. O superministério de Moro também atinge o controle da Polícia Federal.

Confronto com Gilmar Mendes?

Um dos maiores objetivos e que foi utilizado como requisito para a aceitação do comando do ministério, são instrumentos fortes para o combate a corrupção.

Publicidade

Sergio Moro aceitou o cargo definindo que o objetivo é fortalecer e dar maior ritmo para as investigações da Operação Lava Jato.

O ministro Gilmar Mendes já foi muito criticado por andar de contramão com a operação. Mendes soltou da cadeia políticos e empresários que foram envolvidos na Lava Jato. Com isso, o magistrado recebeu até apelidos. Mendes também já foi alvo de pedidos de impeachment devido às suas decisões.

Com o início da gestão de Jair Bolsonaro, Sergio Moro poderá propor as novas medidas no combate a corrupção.

O juiz da Lava Jato ganhou notoriedade na mídia ao colocar na cadeia grandes empresários e políticos. O ex-presidente Lula, por exemplo, foi condenado por Moro e está preso desde o dia 7 de abril, na carceragem da Polícia Federal em Curitiba.

Leia tudo