Eunício Oliveira, presidente do senado Federal, conversou na última terça-feira, 6 de novembro, com o futuro ministro da Economia do governo de Jair Bolsonaro, o economista Paulo Guedes. No entanto, a conversa parece não ter agradado Eunício e nem alguns senadores. O encontro com Paulo Guedes ocorreu antes da celebração dos 30 anos da Constituição. O presidente do Senado chegou a dizer que senadores ficaram "horrorizados" após a conversa.

Segundo informações do próprio Eunício Oliveira, Paulo Guedes teria pressionado o Senado para que colocassem em pauta a votação da Reforma Previdenciária, um tema polêmico que envolveu o Governo de Michel Temer e terá impacto no futuro governo de Jair Bolsonaro.

O objetivo de Guedes é equacionar o desequilíbrio das contas públicas com a reforma. Porém, Eunício teria lembrado o economista que é necessário Michel Temer barrar a intervenção federal no estado do Rio de Janeiro para que, assim, possam dar andamento ao tema.

A Carta Magna evidencia que nenhuma PEC pode ser votada se estiver ocorrendo uma ação militar.

Após a conversa com Guedes, Eunício ainda teria avaliado: "Esse povo que vem aí não é da política; é da rede social".

Conversa ríspida

O presidente do Senado chegou a dizer que o início da conversa foi "ameno", porém, logo se tornou "ríspido". Eunício disse ao futuro ministro que obedece a vontade de seus pares e que há prioridades no momento, como a votação do orçamento para 2019.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Eunício disse que Guedes não quer que aprove orçamento, mas sim a reforma.

Paulo Guedes ainda disse que caso o PT volte ao Poder, a responsabilidade é do atual governo. O economista ainda completou falando que se o Senado não agir, eles iriam colocar a responsabilidade pela volta do PT no Congresso.

Em seguida, Eunício Oliveira disse que abandonou a conversa com Guedes e foi em direção da procuradora-Geral da República, Raquel Dodge.

Com isso, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE) foi conversar com Guedes. Foi aí então que Eunício disse que Bezerra Coelho saiu da conversa "horrorizado".

O governo de Bolsonaro foca na aprovação da reforma da Previdência. O presidente eleito afirmou que deseja que o texto entre para aprovação antes mesmo de sua posse, que ocorrerá no dia 1° de janeiro de 2019. No entanto, o clima para a aprovação do projeto não está sendo favorável a Jair Messias Bolsonaro.

A oposição também mostra-se contrária a reforma.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo