O juiz federal Sergio Moro aceitou o convite do presidente eleito Jair Bolsonaro para comandar o superministério da Justiça a partir do próximo ano. No entanto, o ex-presidente Lula, que foi condenado a 12 anos e um mês de prisão, afirma que é vítima de uma perseguição Política por parte do juiz da Lava Jato. Com Moro fora dos processos da Lava Jato, abrirá espaço para outro magistrado intervir no processo do sítio de Atibaia, do qual Lula é réu.

Publicidade
Publicidade

Entretanto, o ex-presidente Lula, segundo informações do colunista Frederico Vasconcelos, da Folha de S.Paulo, poderá perder o álibi de que é vítima da perseguição política, caso outro magistrado reconfirme a sentença dada por Moro em primeira instância no caso.

Nesta última terça-feira (6), Moro participou de uma coletiva de imprensa e enfatizou que sua decisão em assumir o ministério nada tem relação com a condenação do ex-presidente Lula. Além do mais, Moro afirmou que não pode basear sua vida pública "num álibi falso de perseguição política".

O colunista da Folha ressalta que o único álibi de Lula pode ser eliminado com a ida de Moro para o governo de Jair Bolsonaro.

Antes das eleições presidenciais, o ex-presidente Lula e seus aliados afirmavam que o petista tinha que ser solto para frear a onda bolsonarista do momento.

Pedido ao Supremo

Nesta última semana, a defesa do ex-presidente Lula entrou com pedido de habeas corpus no Supremo Tribunal Federal. Com decisão de Edson Fachin, relator da Lava Jato, a Segunda Turma da Corte irá julgar o caso, mas a data ainda não foi marcada.

Publicidade

Um dos argumentos da defesa é que Moro agiu com parcialidade no caso. Em outros pedidos, a defesa utilizou a mesma tese. No entanto, agora ainda utilizam o fato de Moro ter assumido o ministério para reforçar o pedido.

Os advogados do petista disseram à EBC que Lula é "vítima de uma caçada judicial", que fez com que os direitos de Lula como cidadão fossem anulados. O novo pedido de habeas corpus quer a suspeição de Moro e a anulação dos atos que levaram o petista para a cadeia.

Segundo o colunista, com a indicação de Moro ao superministério, a imagem de "juiz carcereiro" poderá ser sepultada caso o processo do sítio de Atibaia, com maior número de provas, resulte em uma nova condenação do ex-presidente, dessa vez pela caneta de outro magistrado.

Leia tudo