Nesta terça-feira (27), o plenário do Senado da República tornou-se palco de um dos momentos mais tensos no final do ano legislativo no Brasil. Trata-se do enfrentamento de dois senadores: Lasier Martins (PSD-RS) e Renan Calheiros (MDB-AL). Ambos protagonizaram uma verdadeira "troca de farpas" no Congresso Nacional.

O debate acalorado entre os dois congressistas ocorreu a partir do momento em que o senador Renan Calheiros relembrou um episódio em que o senador Lasier Martins fora acusado de ter agredido sua mulher.

Publicidade
Publicidade

O inquérito que envolveu o parlamentar gaúcho acabou sendo arquivado por decisão tomada pelo ministro Luiz Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal (STF), a mais alta instância do Poder Judiciário brasileiro.

Troca de farpas no Senado Federal

Após a acusação feita pelo senador alagoano no plenário da Casa Legislativa do Senado Federal, Lasier Martins deixou claro que havia sido inocentado pela Polícia Federal e também na Suprema Corte brasileira, de acordo com a decisão proferida do ministro Edson Fachin, pelo arquivamento do caso respectivo.

Publicidade

Durante a discussão, Lasier acusou Renan de estar fazendo propaganda no plenário da Casa de sua candidatura à presidência do Senado. O parlamentar gaúcho foi taxativo ao afirmar que "o tempo de Renan Calheiros acabou". O senador Lasier Martins concluiu ainda, que Renan Calheiros não será eleito presidente do Senado da República, já que ele (Lasier) possui ficha limpa, sendo que Renan não tem, e alusão a processos relacionados a inquéritos que são enfrentados pelo senador alagoano no âmbito da Operação Lava Jato, juntamente ao Supremo Tribunal Federal (STF).

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Vale ressaltar que uma parcela dos parlamentares da Câmara dos Deputados e do próprio Senado Federal enfrentam problemas quanto a envolvimentos em casos relacionados à corrupção, no âmbito das investigações da força-tarefa da maior operação anticorrupção em toda a história contemporânea do país, a Operação Lava Jato, da Polícia Federal. A força-tarefa é conduzida em primeira instância, pela magistrada Gabriela Hardt, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

A juíza federal supracitada substitui Sergio Moro. O ex-magistrado aceitou convite para assumir a pasta do Ministério da Justiça e da Segurança Pública no Governo do presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro, a partir do próximo ano.

Confira o momento de troca de farpas entre os senadores Lasier Martins (PSD-RS) e Renan Calheiros (MDB-AL) no Congresso Nacional:

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo