Sergio Moro aceitou o convite do novo presidente do Brasil, Jair Bolsonaro para ser ministro da Justiça em seu governo e com isso, o juiz federal não irá mais atuar nos processos relativos à Operação Lava Jato. Dois processos relacionados ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva ainda estão pendentes e deverão ficar agora sob o comando da juíza substituta.

Assim que confirmou que aceitaria o convite de Bolsonaro, Moro disse que irá se afastar das suas atuais funções desde agora, incluindo as audiências da Lava Jato, justamente para 'evitar controvérsias desnecessárias'.

No próximo dia 14, Sergio Moro iria interrogar Lula, mas não o fará mais. O interrogatório é referente ao processo do sítio de Atibaia e pode ser que a audiência seja remarcada para outra data, ou seja, mesmo realizada dia 14, quem assumirá o caso é Gabriela Hardt, juíza substituta da 13ª Vara da Justiça Federal do Paraná.

Para Gabriela, estes processos não são nenhuma novidade, pois, quando Moro entrava de férias, era ela quem o substituía de forma temporária.

Pessoas próximas afirmam que ela tem pulso firme e há quem diga que ela seja até mais 'dura' que Sergio Moro. Porém, é muito elogiada por ser aplicada, estudiosa e sempre dá atenção aos dois lados envolvidos, sendo imparcial em seus julgamentos.

A última audiência de Moro

No dia 31 de outubro, quarta-feira, o juiz federal ouviu Eduardo Cunha, ex-presidente da Câmara e esta foi a última audiência de Moro, onde ele chegou a discutir com um dos advogados.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Sergio Moro

Sergio Moro sentenciou apenas um dos três processos em que Lula é réu pela Lava Jato e a juíza substituta é quem ficará responsável daqui para frente.

Na manhã de hoje, Sergio Moro e Jair Bolsonaro se encontraram no Rio de Janeiro onde tiveram uma rápida reunião, na casa do presidente eleito. Sem seguranças, o juiz saiu de Curitiba e seu voo até o Rio foi cercado de grande expectativa, nas redes sociais o assunto logo ficou entre os mais comentados da manhã.

"Fui convidado pelo Sr. Presidente eleito para ser nomeado Ministro da Justica e da Seguranca Publica na próxima gestão", informou Moro.

Moro divulgou uma nota, logo após o encontro com Bolsonaro, dizendo que estava honrado com o convite e que com certo pesar aceitava o cargo, lamentando ter que deixar a carreira de juiz, na qual atua há 22 anos.

Veja também

WhatsApp bloqueou filho de Jair Bolsonaro e outros milhares de usuários por causa de spam

Ex-líder da Ku Klux Klan elogia Jair Bolsonaro: 'Ele soa como nós'

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo