Sergio Moro, ex-magistrado federal e futuro ministro da Justiça e da Segurança Pública no Governo do presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro, anunciou que levou para o seu gabinete de transição em Brasília alguns integrantes da Operação Lava Jato.

Vale lembrar que Sergio Moro foi exonerado, nesta segunda-feira (19), do cargo de juiz federal de primeira instância na magistratura brasileira.

Publicidade
Publicidade

Moro foi o responsável pela condução da Operação Lava Jato no Paraná, como titular da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba.

Os processos relacionados às investigações da força-tarefa da Lava Jato, encontram-se sob a alçada da juíza federal substituta, Gabriela Hardt. Dentre os inquéritos sentenciados por Moro, está o do caso referente à aquisição do apartamento de luxo tríplex, por parte do ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva.

Sergio Moro faz anúncio de membros de sua futura equipe ministerial
Sergio Moro faz anúncio de membros de sua futura equipe ministerial

O ex-mandatário petista acabou sendo sentenciado à prisão para cumprimento de uma pena de mais de doze anos de prisão, por práticas criminosas de corrupção passiva e lavagem de dinheiro. Atualmente, no âmbito da força-tarefa da Lava Jato, o ex-presidente Lula responde um inquérito relacionado a reformas feitas em um sítio, localizado em Atibaia, no interior do estado de São Paulo. O petista teria sido beneficiado por recursos ilícitos oriundos de empreiteiras envolvidas no mega esquema de corrupção da Petrobras.

Publicidade

Nova equipe ministerial

Sergio Moro fez o anúncio de alguns nomes que irão compôr a sua equipe de transição de governo. Dentre eles, há alguns integrantes que faziam parte da Operação Lava Jato, como Rosalvo Franco Ferreira, ex-superintendente regional da Policia Federal do Paraná. Outro nome de destaque da força-tarefa da operação e que estará trabalhando juntamente a Sergio Moro, trata-se de Erika Mialik Marena. Ela é considerada uma das primeiras delegadas federais a comandar a Operação Lava Jato, tendo sido, inclusive, responsável pelo nome atribuído à operação.

Sergio Moro começa, assim, a delinear como será focado o seu trabalho no ministério da Justiça e da Segurança Pública. O ex-magistrado federal já havia comunicado que contaria com membros integrantes da força-tarefa da Operação Lava Jato. Um dos projetos aventados pelo futuro ministro é criar no mesmo modelo da operação implementada em Curitiba, com forças-tarefa destinadas para assuntos considerados prioritários. Além dos nomes supracitados para a equipe ministerial de Sergio Moro estão nomes como Flávia Blanco, que será chefe de gabinete do Ministério, além do ex-chefe de comunicação da Superintendência da Polícia Federal no Paraná, Marcos Koren.

Publicidade

Entretanto, um dos nomes mais aguardados para serem anunciados pelo futuro ministro como um dos mais cotados, trata-se do futuro diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Valeixo. Atualmente, ele é chefe da Polícia Federal no Paraná e provavelmente, substituirá o atual diretor-geral da Polícia Federal no Brasil, Rogério Galloro.

Leia tudo