O juiz federal Sergio Moro, notoriamente conhecido pela sua forma de conduzir as investigações da Operação Lava Jato, foi ao encontro do presidente eleito, Jair Bolsonaro, nesta última quinta-feira, 1° de novembro. Bolsonaro já havia acenado para Moro, para que o juiz, que se tornou símbolo no combate a corrupção e impunidade, se torne ministro da Justiça no seu Governo.

Sergio Moro analisa a questão e o encontro com Bolsonaro é para tratar desse tema.

Publicidade
Publicidade

Neste encontro, também terá a presença do economista de Bolsonaro, Paulo Guedes. Segundo informações do portal "Estadão", o juiz de Curitiba evidenciou que uma das motivações que o fazem ir até o encontro do presidente eleito, é a possibilidade de implantar uma agenda anticorrupção e anticrime organizado.

Em reportagem para a Globo, Moro evidenciou o requisito para poder se lançar como ministro da Justiça de Bolsonaro: a implementação da ideia sobre a agenda anticorrupção e anticrime organizado.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Sergio Moro

Este seria o requisito principal para o juiz de Curitiba assumir a pasta.

Além do mais, o juiz evidenciou que é preciso a convergência de ideias para saber como isso será realizado. Mesmo evidenciando grande possibilidade de assumir a pasta, o juiz federal ainda não confirmou se realmente aceitará o convite.

Moro viaja ao Rio de Janeiro

Na manhã dessa quinta-feira, o juiz Sergio Moro viajou para o Rio de Janeiro. Moro se encontrará com Bolsonaro na residência do presidente eleito.

Publicidade

Ao desembarcar no aeroporto de Santos Dumont, o juiz federal foi até um hotel que está sendo utilizado por muitos visitantes de Bolsonaro.

O presidente eleito enfatizou que daria para Moro um superministério, que enfatiza a juntura de órgãos no combate à corrupção e além disso, o controle da Polícia Federal e Coaf.

Segundo informações de Merval Pereira, do "O Globo", é algo natural que um presidente eleito por parte da população que enfatizou a luta contra a corrupção, coloque em seu governo o juiz que se tornou símbolo desse combate.

Sergio Moro colocou na cadeia grandes nomes da sociedade, chegando a prender o ex-presidente do Brasil, Lula, que está na carceragem da Polícia Federal desde o dia 7 de abril.

A imprensa aguarda o resultado da reunião de Moro com Bolsonaro. Ao que tudo indica, hoje sairá a decisão sobre o juiz federal assumir, ou não, o superministério durante o governo do presidente eleito. Além do mais, Bolsonaro já disse que gostaria de Moro atuando no STF após aposentadoria de ministros que deixarão a vaga desocupada.

Publicidade

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo