Mesmo na semana entre o Natal e o Ano Novo, o presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro, continua trazendo informações para os seus eleitores, por meio de suas redes sociais. Nesta quinta-feira (26), diretamente da sua conta no Twitter, ele informou que se se encontrará, na próxima sexta-feira (28), no Forte de Copacabana, no Rio de Janeiro, com Benjamin Netanyahu, primeiro-ministro de Israel.

Além disso, Jair Bolsonaro escreveu que a intenção de muitos é desinformar e confundir os seus eleitores sobre o encontro, mas que o mesmo aconteceria de qualquer forma.

Publicidade
Publicidade

As incertezas se davam por conta da desistência de Benjamim Netanyahu na posse do futuro presidente. Porém, o embaixador de Israel afirmou que a negativa se deu por conta da crise política instaurada no seu país —que culminou na coalização de governo e em uma antecipação das Eleições legislativas para abril, que seriam somente em novembro.

Mas a polêmica entre o nome de Bolsonaro e Israel não é recente. Logo após ter sido eleito, em novembro deste ano, Bolsonaro afirmou que transferiria a embaixada brasileira no país para Jerusalém —atualmente está em Tel Aviv. Um movimento político parecido com que foi feito pelo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Eleições

Polêmica da dessalinização

Além de todas essas polêmicas, recentemente, outra declaração do futuro presidente causou burburinho envolvendo Israel. Bolsonaro soltou uma nota afirmando que, agora que o país está fora das amarras ideológicas, poderá prosperar livremente, e que a parceria entre Brasil e Israel garantirá um futuro para o Nordeste.

Na prática, o presidente eleito deu a missão para o seu ministro da Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, para encontrar soluções para a seca do Nordeste no país israelense, como a tecnologia de dessalinização de água .

Publicidade

Uma ideia aparentemente boa, mas contraditória quando o próprio Brasil já desenvolve um programa de água salobra.

Desde 2004, a Embrapa custeia pesquisas e atividades voltadas a dessalinização. O projeto já resultou em várias instalações, sendo 44 no estado da Paraíba, 10 no Piauí, 244 no Ceará, 29 no Sergipe, 68 no Rio Grande do Norte, 145 na Bahia 45 em Alagoas.

Até o momento, o presidente não se pronunciou sobre a repercussão da sua declaração na internet.

Como as redes sociais estão sendo usadas como o principal meio de comunicação de Bolsonaro, todos aguardam um posicionamento online do futuro presidente.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo