O programa francês Je t'aime etc., que pertence à France 2, divulgou nesta sexta-feira (14) os ganhadores do prêmio Idiot D'or. Entre as categorias apresentadas na sátira estavam os prêmios de Misógino e Racista do Ano, onde o presidente eleito Jair Messias Bolsonaro acabou sendo o escolhido. O evento, que é uma sátira, premiou também outras personalidades. Um exemplo é o cantor Kanye West que abocanhou a categoria Ignorante do Ano.

Donald Trump, presidente dos Estados Unidos da América, e Rodrigo Duterte, presidente filipino, concorreram ao Misógino do Ano ao lado de Bolsonaro.

Stan Gusman, apresentador do programa, elogiou a escolha dos homenageados neste ano e disse ser uma bela seleção. Ele justificou a presença do presidente eleito do Brasil em ambas as categorias vencidas e, para isso, utilizou dois episódios que contam com o envolvimento do ex-capitão da reserva.

Os motivos para ser premiado

Bolsonaro conseguiu alcançar o título de Misógino do ano por conta de sua discussão com a então deputada do PT, Maria do Rosário. O episódio ficou bem conhecido pelo Brasil e foi dele que saiu uma das frases polêmica: "Só não te estupro porque você não merece", disse o deputado para a parlamentar em meio à discussão que foi gravada em 2003.

Gusman declarou durante o programa: "Um homem que detesta tanto as mulheres que esteve por aqui de se casar com um homem. Mas a gente não pode se fazer de tonto, né?"

O programa seguiu discutindo quem seria o Racista do Ano. A disputa foi acirrada entre Donald Trump e Bolsonaro, mas o futuro presidente brasileiro acabou sendo escolhido. A indicação foi feita por conta do episódio em que o ex-capitão menciona a razão pela qual seus filhos nunca namorariam uma mulher negra. Na época, Bolsonaro disse que o cenário não seria possível, pois teria educado seus filhos "direito".

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Jair Bolsonaro

O paramentar teria dito isso enquanto cedia entrevista à cantora Preta Gil, que na época gravava um quadro para o programa CQC.

Quem também concorreu ao prêmio, ao lado dos dois políticos, foi a cantora irlandesa Sinéad O'Connor, que disse não conseguir viver mais com pessoas brancas após ter se convertido ao islamismo. Segundo Gusman, a disputa entre os três foi tão acirrada que todos mereciam ter ganhado o prêmio. Apesar disso, a co-presentadora Daphné Bürki desencorajou a plateia a aplaudir os homenageados, já que, segundo ela, nenhum deles seria merecedor de receber palmas.

O momento em que Bolsonaro é escolhido pode ser conferido no vídeo abaixo:

O caso Bolsonaro x Preta Gil

A entrevista ao CQC gerou tanta controvérsia que Bolsonaro resolveu se pronunciar. O ex-capitão cedeu uma entrevista para o Programa Raul Gil, no dia 25 de abril de 2015, em que se defendeu da acusação de racismo. Ao se pronunciar, Bolsonaro diz não ser racista e justifica que a pergunta de Preta Gil que ele ouviu foi que se o filho dele namorasse um gay, mas que o vídeo havia sido editado. O depoimento do parlamentar pode ser assistido no vídeo abaixo:

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo