A última polêmica da semana envolvendo o Supremo Tribunal Federal (STF) girou em torno da condenação em segunda instância do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Além do petista, mais 150 mil presos seriam afetados pela decisão do ministro Marco Aurélio Mello.

A decisão de Marco Aurélio e a intervenção de Dias Toffoli

A liminar do magistrado suspendia a prisão de condenados em segunda instância (aqueles que aguardam pelo fim do julgamento após o encerramento de todos os possíveis recursos).

Publicidade
Publicidade

A ação foi tomada pouco antes do início no recesso do judiciário, o que acabou gerando grande repercussão no Brasil todo.

Apesar disso, a decisão de Marco Aurélio foi revertida pelo atual presidente da Corte, Dias Toffoli, que acatou um pedido da Procuradoria Geral da República.

Segundo alguns juristas, a desavença contribui para o enfraquecimento da Suprema Corte. Apesar de alguns deles concordarem com a decisão de Toffoli é inegável que o desgaste que foi gerado se tornou algo negativo para o STF.

Antes que o presidente da corte derrubasse a decisão de Aurélio, Gilson Dipp, ex-ministro do Superior Tribunal de Justiça (STF), já tinha previsto que, caso a intervenção acontecesse, o resultado seria desastroso, algo que acabou se confirmando no mesmo dia.

A repercussão nas redes sociais

Pedidos de intervenção no judiciário começaram a ser discutidos no Twitter com o uso de hashtags que rechaçavam o STF. Entre elas estava #STFVergonhaNacional, #IntervençãoNoSTF e #UmCaboUmSoldado, esta última em alusão à frase inconstitucional dita pelo deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL), filho do presidente eleito Jair Messias Bolsonaro (PSL), em meio a uma palestra.

Publicidade

O parlamentar teria dito que bastava um cabo e um soldado para fechar a Corte. Lembrando que a declaração é considerada um ataque à instituição democrática e aos três poderes e, por conta disso, crime pela Lei de Segurança Nacional (Art.23). O ato gerou o desagrado do ministro Celso Mello, que também integra o STF.

Apesar disso, a hashtag #LulaLivre ocupou o primeiro lugar dos trending topics (tópicos mais comentados) do Twitter. O ex-presidente, que seria beneficiado pela decisão de Marco Aurélio, está preso desde abril deste ano pelos crimes de lavagem de dinheiro e corrupção passiva referentes ao caso do tríplex em Guarujá.

Caso a decisão de Marco Aurélio não tivesse sido anulada, Lula poderia se tornar uma peça fundamental a integrar a atual oposição ao governo.

Leia tudo