A cerimônia de diplomação do presidente eleito da República, Jair Messias Bolsonaro, e do vice-presidente eleito, general da reserva do Exército brasileiro Antonio Hamilton Martins Mourão, ocorrida nesta segunda-feira (10), foi marcada por momentos de constrangimento que chegaram a deixar insatisfeitos alguns aliados do futuro mandatário brasileiro.

Situação de constrangimento em evento do TSE

Dentre as autoridades presentes durante o evento de diplomação dos futuros presidente e vice da República estava o futuro ministro da Justiça e da Segurança Pública, ex-juiz Sergio Moro.

Publicidade
Publicidade

O ex-magistrado foi responsável pela condução em primeira instância da maior operação anticorrupção em toda a história contemporânea brasileira, a Operação Lava Jato, da Polícia Federal, a partir da décima terceira Vara Criminal da Justiça Federal de Curitiba, no estado do Paraná.

Porém, o que acabou trazendo um certo descontentamento para aliados do presidente eleito, Jair Bolsonaro, foi o discurso da presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e ministra integrante do Supremo Tribunal Federal (STF), Rosa Weber.

Num discurso considerado longo, que durou aproximadamente quinze minutos, a magistrada, que foi a segunda e a última a se pronunciar na cerimônia de diplomação de Bolsonaro, destacou o aniversário de 70 anos da Declaração Universal dos Direitos Humanos, que também é celebrada nesta data de hoje.

Porém, de acordo com aliados do futuro mandatário brasileiro, as palavas da ministra acabaram ocasionando um certo descontentamento entre os presentes. A ministra afirmou que "em uma democracia, a vontade da maioria não poderia 'abafar' os grupos considerados minoritários e nem mesmo retirar-lhes os seus direitos", o que acabou soando como uma provocação, de acordo com aliados do futuro Governo.

Publicidade

Minutos após o discurso da ministra Rosa Weber, a deputada federal eleita pelo Estado de São Paulo Joice Hasselmann, aliada de Bolsonaro, criticou a ministra do Supremo, ao se manifestar em seu perfil pessoal na rede social do Twitter. Joice escreveu que "nosso presidente, agora diplomado, fez um discurso considerado simples, de união e de agradecimentos. Já a ministra Rosa Weber nos submeteu a uma longa aula de direitos humanos fora de tom e de propósito.

Desnecessário. Mas nada tirou o brilho do momento".

A deputada federal eleita pelo Distrito Federal Beatriz Kicis, também aliada de Jair Bolsonaro, manifestou-se em seu perfil da rede social, em relação ao discurso da ministra Rosa Weber. Kicis afirmou que "Rosa Weber espantaria a audiência virtual com seu discurso longo de aulinha de direitos humanos".

Leia tudo