O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, concedeu uma entrevista coletiva nesta quarta-feira (12) com duras críticas dirigidas ao vice-presidente eleito do Brasil, general da reserva do Exército brasileiro Antônio Hamilton Martins Mourão, que deverá tomar posse no início do mês de janeiro de 2019, ao lado do presidente eleito, Jair Messias Bolsonaro.

Vale ressaltar que Bolsonaro já se manifestou contrariamente ao Governo venezuelano.

Um dos filhos do presidente eleito, deputado federal eleito Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), chegou a afirmar que "o general Mourão já tinha avisado que a próxima operação de paz do Brasil se concretizaria na Venezuela, já que iria libertar nossos irmãos venezuelanos da fome e do socialismo".

Maduro reage às declarações do general Mourão

Durante a realização de um entrevista coletiva na sede do governo da Venezuela, no Palácio Miraflores, Maduro afirmou que "o povo do Brasil e também as forças militares do país querem a paz e a cooperação com a Venezuela", porém, de acordo com o presidente venezuelano, o Brasil elegeu um vice-presidente que teria "cara de louco" e intenções demonstradas de "invadir a Venezuela".

Maduro chegou a acusar o general Mourão e vice-presidente da República eleito de beligerância em relação ao seu país.

Segundo o presidente venezuelano, "Hamilton Mourão falaria todos os dias como presidente paralelo do Brasil e que todos os dias fixaria pauta do que vai ser a política desse governo, já que todos os dias diria que vai invadir a Venezuela e que o Brasil iria usar as suas forças militares".

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Governo

Em relação às supostas "agressões ao país vizinho, Nicolás Maduro afirmou que "pede a Deus paz, mas que não venham a se enganar nunca, pois, iria dar uma lição da qual não vão se esquecer em mil anos".

O venezuelano concluiu ainda, que "quase não se ouviria a voz de Bolsonaro" e que Mourão seria agressivo com a Venezuela. O presidente do país afirmou ainda, que "ninguém no Brasil quer que o governo recém-eleito do país de Jair Bolsonaro, venha a se meter em uma aventura de caráter militar contra o povo da Venezuela".

Após as críticas dirigidas ao novo governo brasileiro, especialmente contra o vice-eleito, general Mourão, o presidente Maduro disse que "no governo entrante do Brasil, um seria mais louco do que o outro".

Recentemente, o governo da Venezuela recebeu da Rússia quatro aeronaves, após Maduro ter ido até o país europeu pedir ajuda ao presidente Vladimir Putin.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo