O futuro ministro da Justiça, Sergio Moro, foi questionado sobre o relatório do Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) que indica a movimentação de valores por Fabrício Queiroz, ex-motorista de Flávio Bolsonaro, filho do presidente eleito, Jair Bolsonaro.

Moro declarou que ele, como ministro da Justiça, não pode intervir em casos concretos. O ex-juiz acrescentou ao dizer que se comentasse algo sobre o relatório da Coaf seria inapropriado devido seu futuro posicionamento como ministro.

Publicidade
Publicidade

No entanto, o ex-juiz frisa que o caso deve ser esclarecido.

Sobre o presidente eleito, Moro citou que Bolsonaro já deu alguns esclarecimentos. Porém, sem citar nomes, disse que há outras pessoas que devem dar seu posicionamento. Moro disse que não tem que "assumir esse papel", pois um ministro da Justiça não pode atuar dessa forma, sob casos concretos.

Ex-motorista de Flávio Bolsonaro

De acordo com a Coaf, o ex-assessor e ex-motorista do filho de Bolsonaro, Fabrício Queiroz, movimentou cerca de R$ 1,2 milhão dentro de um ano.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Jair Bolsonaro Sergio Moro

O órgão investigativo é ligado ao Ministério da Fazenda e monitora movimentações consideradas suspeitas e atípicas por bancos.

O banco que Queiroz mantém sua conta comunicou a Coaf sobre as movimentações.

General Mourão se manifesta

O vice na chapa de Jair Bolsonaro, o general Hamilton Mourão, manifestou-se sobre as movimentações atípicas sinalizadas pela Coaf. Mourão declarou que falta a explicação de Queiroz sobre essa movimentação.

Em questionamento de jornalista sobre a justificativa de Bolsonaro, Mourão disse que o presidente eleito deu o seu parecer sobre o caso.

Publicidade

No entanto, espera a versão de Queiroz.

Outro ponto questionado foi a reação do futuro ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, que teria se irritado com repórteres ao ser perguntado sobre o caso. Mourão acredita que Onyx está apenas estressado. O general ainda disse que quando a resposta soa daquela forma parece até que estão errados. Ele citou seu exemplo, de responder claramente e com tranquilidade o tema.

Bolsonaro comentou sobre o valor de R$ 24 mil recebido na conta da futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro.

O valor foi um depósito de Fabrício Queiroz. Bolsonaro chegou a dizer que isso se tratava de um empréstimo, porém seria a vez de Fabrício responder sobre o valor. A conta de Michelle teria sido usada porque Bolsonaro não tem tempo de sair de casa.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo