O general Hamilton Mourão, vice-presidente na chapa de Jair Bolsonaro, se pronunciou sobre o caso envolvendo o ex-motorista e ex-assessor de Flávio Bolsonaro. Fabrício Queiroz está na lista da Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras) e também anexado a Operação Furna da Onça. O ex-motorista teria movimentado, dentro de um ano, a quantia de R$ 1,2 milhão.

General Mourão disse que falta explicação sobre o caso: "O ex-motorista, que conheço como Queiroz, precisa dizer de onde saiu este dinheiro." Mourão também completou ao dizer que o Coaf é uma instituição que rastreia tudo, e que essas transações devem ser explicadas.

Bolsonaro também se manifestou sobre o fato. No entanto, Mourão foi questionado se a explicação de Bolsonaro teria sido satisfatória. Com isso, Mourão disse que sim, porém ressaltou que agora é a vez do Fabrício Queiroz falar sobre essa movimentação milionária.

Em entrevista para o G1, Mourão enfatizou que Queiroz foi seu soldado no ano de 1987, nas Forças Armadas. Então, lembrou que o desempenho como soldado era considerado excelente.

Outro ponto levantado por Mourão, é que ele acredita que o Governo deva dar sempre explicações para a sociedade e sem se incomodar quando for cobrado. Caso contrário, o governo pode parecer que está escondendo algo da população.

Dinheiro na conta de Michelle Bolsonaro

Nesta última sexta-feira, 7 de dezembro, o presidente eleito Jair Bolsonaro falou para o site "O Antagonista" sobre R$ 24 mil pagos através de cheques pelo ex-motorista Fabrício Queiroz para a futura primeira-dama, Michelle Bolsonaro. O capitão reformado disse que o pagamento se refere a dívidas que se acumularam.

Bolsonaro disse ainda que não foram nem R$ 24 mil de dívida, mas sim, R$ 40 mil. O presidente eleito disse que se o Coaf avançar um pouco mais irá encontrar a quantia exata emprestada ao ex-motorista.

Vai ficar por fora de assuntos como este?
Clique no botão abaixo para se manter atualizado sobre as notícias que você não pode perder, assim que elas acontecem.
Governo

Jair Bolsonaro ainda explicou que o pagamento foi feito através de cheques no valor de R$ 4 mil reais e foram depositados na conta de sua esposa porque ele não tem tempo de sair de casa. Ao finalizar, enfatizou que essa história não passa disso.

Segundo o presidente eleito, Fabrício Queiroz é seu amigo há 34 anos. A amizade teria se iniciado nos tempos da Brigada Paraquedista. Queiroz passou no concurso da Polícia Militar do Rio de Janeiro e, em seguida, se tornou assessor de Flávio Bolsonaro, deputado estadual eleito pelo Rio.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo