O futuro ministro da Justiça, Sérgio Moro, tem trabalhado nos bastidores para que o Congresso Nacional aprove um projeto de lei, ainda neste ano, que possibilite medidas mais rígidas contra criminosos e empresas que estão envolvidas com lavagem de dinheiro e esquemas com o terrorismo no Brasil. Um dos objetivos dessa pressão de Moro para que se aprove esse projeto, é evitar que o país entre numa "lista negra" de governos que não estão buscando alternativas e nem sendo consistentes no combate a esses tipos de crimes.

Publicidade
Publicidade

Dessa forma, o Brasil evita de ser penalizado com sanções econômicas e comerciais de países, como por exemplo, os Estados Unidos e alguns da Europa.

Esse projeto está no Congresso desde junho e tem como propostas alterar a legislação brasileira endurecendo a punição para quem cometer esse tipo de crime de lavagem e terrorismo.

O Gafi (Grupo de Ação Financeira contra a Lavagem de Dinheiro e o Financiamento do Terrorismo) já havia dado um alerta ao Brasil no ano de 2010. Em junho deste ano, ocorreu uma nova advertência e, caso o Brasil não mude a postura adotada, ele poderá ser expulso desse Grupo.

Caráter de urgência

Sérgio Moro iniciou os trabalhos nos bastidores buscando uma conscientização dos parlamentares quanto a aprovação da lei. A Câmara dos Deputados chegou a aprovar um requerimento de urgência de plenário atendendo uma das solicitações do futuro ministro.

Moro tem alertado o Congresso que se a proposta não for estabelecida, o Gafi poderá suspender o Brasil do Grupo e o país ser alvo de várias sanções, o que traria sério risco para a economia.

Publicidade

Conversa com Maia

Conforme publicado no jornal O Estado de São Paulo, um dos interlocutores de Moro foi Rodrigo Maia, presidente da Câmara. Os dois conversaram sobre diversos assuntos e o ex-juiz comunicou sobre a sua preocupação com o futuro do país.

Para que a lei seja alterada, é necessário uma costura política com o Congresso, onde envolve a aprovação no Senado e de preferência sem emenda. Dessa forma, não haverá necessidade de sanção do presidente Michel Temer.

Sérgio Moro tem colocado como objetivo de sua chefia nos Ministérios da Justiça e da Segurança Pública, o combate ao crime organizado e mudanças no sistema prisional brasileiro. Juntamente do presidente eleito Jair Bolsonaro, o ex-magistrado tentar trabalhar com ações fortes contra a violência que assola o país e crimes de corrupção.

Leia tudo