Anúncio
Anúncio

Nesta sexta-feira (11), foi o evento de despedida do general Eduardo Villas Bôas, que está deixando o comando do Exército. O ministro da Defesa, general Fernando Azevedo e Silva, fez um discurso de agradecimento a Villas Bôas e disse que "a maior entrega deste comandante é o que ele conseguiu evitar".

Azevedo e Silva [VIDEO] foi o último a discursar no evento. Ele elogiou a capacidade de Villas Bôas de conter ímpetos democráticos entre os militares.

De acordo com Azevedo, muitos momentos caóticos tomaram conta do país e a postura do ex-comandante foi essencial para evitar um possível caos.

Vale ressaltar que Villas Bôas foi contra a intenção da ex-presidente Dilma Rousseff que queria decretar estado de emergência para evitar que o Congresso votasse o seu impeachment.

Advertisement

Outro ponto polêmico lembrado sobre o ex-comandante, foram as suas manifestações no Twitter contra uma possível candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na eleição de 2018, mesmo sem citar o nome do petista. Villas Bôas chegou a dizer que os militares não concordariam em ter um chefe supremo que esteja envolvido em atos de corrupção. Muita gente viu como um recado a Lula.

O Supremo Tribunal Federal (STF) também esteve sob a mira do general. No ano passado, às vésperas do julgamento de Lula na Corte, ele ressaltou que o Exército repudia a impunidade. Muitos viram como uma pressão ao STF para evitar o habeas corpus a Lula.

Villas Bôas também amenizou discursos do ano passado em que o vice de Jair Bolsonaro, general Antonio Hamilton Mourão, falava em intervenção militar como alternativa caso o país entrasse num caos.

Advertisement

O ex-comandante demonstrou tranquilidade e disse que a intervenção não era algo cogitado dentro das casernas. Além disso, enfatizou que as Forças Armadas têm o objetivo de não se envolver na política, permanecendo sempre como uma instituição independente.

Doença grave

Villas Bôas convive com uma doença rara e que impossibilita a sua locomoção. No evento, ele estava bem emocionado e chegou a ser abraçado pelo presidente Bolsonaro [VIDEO]. A primeira-dama, Michelle Bolsonaro, também cumprimentou o general após o encerramento da cerimônia.

Em decorrência de sua doença degenerativa, Villas Bôas pediu para que o Mestre de Cerimônias lesse o seu pronunciamento.

Agradecimentos

Villas Bôas agradeceu a Dilma Rousseff e a Michel Temer por tê-lo mantido no cargo e enalteceu um Exército democrático, apartidário e dedicado exclusivamente ao povo brasileiro.