A cerimônia de posse do presidente Jair Bolsonaro foi marcada por diversos momentos emocionantes. Mas para muitas pessoas o momento mais interessante foi justamente o discurso da primeira-dama, Michelle Bolsonaro. O discurso em Libras foi marcado pela quebra de protocolo.

A primeira quebra foi justamente o fato de Michelle ser a primeira primeira-dama a discursar em uma cerimônia de posse de presidente. Acusado de ser machista e atacado por isso durante a campanha eleitoral, Bolsonaro deu espaço à mulher. O discurso em Libras foi traduzido em voz por uma intérprete.

O público presente delirou com o discurso da primeira-dama e pediu que Michelle beijasse o presidente. Os beijos aconteceram em três oportunidades e o público vibrou com mais esta quebra de protocolo.

Os gestos foram celebrados pelos apoiadores do presidente que lotaram a Praça dos Três Poderes. Um grupo puxou coro gritando o nome da primeira-dama e toda a multidão acompanhou.

No momento em que Michelle chamou o marido de presidente e lhe deu um beijo, convidados que estavam dentro do salão nobre do Planalto vibraram com o momento e aplaudiram os gestos.

A primeira-dama, que realiza trabalhos de inclusão social na igreja onde congrega, a Batista Atitude, no Rio de Janeiro, deve trabalhar à frente da área social do governo.

A mensagem dela foi um grande passo para o crescimento da inclusão no Brasil, acreditam os especialistas.

Ela também agradeceu a Deus pela oportunidade de poder ajudar as pessoas que mais precisam. Ela quer fazer como primeira-dama o que sempre fez parte de sua vida: a ajuda ao próximo.

Michelle afirmou que as eleições de 2018 deram voz a quem não era ouvido e disse também que o cidadão brasileiro quer prosperidade, segurança e paz.

Em seguida, ela se dirigiu à comunidade surda e disse que eles serão valorizados.

Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) do ano de 2010, cerca de 9,7 milhões de brasileiros sofrem com problemas de surdez em todo o país.

Agradecimentos especiais

Michelle Bolsonaro também fez outros agradecimentos: a Deus, à família, aos amigos e ao enteado Carlos.

Durante os 23 dias em que Jair ficou internado, após levar uma facada de Adélio Bispo de Oliveira, em Juiz de Fora, Minas Gerais, Carlos ficou com o pai no hospital. O vereador do Rio de Janeiro se licenciou para acompanhar o pai. Por fim, ela pede o apoio de todos os brasileiros ao marido e presidente, Jair Bolsonaro.

Siga a página Jair Bolsonaro
Seguir
Não perca a nossa página no Facebook!