O presidente Jair Bolsonaro se encontra internado no Hospital Albert Einstein se recuperando de uma cirurgia na qual foi submetido para a retirada de uma bolsa de colostomia, em decorrência de um atentado sofrido a faca enquanto fazia campanha eleitoral no ano passado. Por meio do seu Twitter, o presidente acabou se manifestando após um ator norte-americano, Kevin McHale, acusá-lo de censurar um filme que retrata sobre uma "cura gay".

Bolsonaro ficou irritado e disse nas redes sociais que ele tem mais coisas para fazer e que a informação de que ele censurou um filme sobre uma suposta "cura gay" é "mentira".

Publicidade
Publicidade

A Universal, distribuidora do filme "Boy Erased - Uma Verdade Anunciada" no Brasil, anunciou que o filme não entraria no Cinema brasileiro e estaria disponível apenas em DVD ou outros formatos.

Diversas pessoas pelas redes sociais ficaram indignadas e suspeitaram que a ação da Universal é em razão da onda conservadora que invadiu o Brasil com a entrada do presidente Bolsonaro no comando do país.

Ator se pronuncia

O ator Kevin Hale, famoso por sua atuação na série Glee, acusou o governo Bolsonaro de censura.

Através do seu Twitter, ele criticou o presidente e disse que ele era uma ameaça para a comunidade LGBTQ+ no Brasil.

O ator disse que o filme foi banido e esse seria só o começo das ações do governo contra esse grupo.

A Universal negou que o motivo fosse esse declarado pelo ator e disse que as razões são comerciais. A distribuidora acredita que a bilheteria não cobriria os gastos que teria para levar o filme até o cinema no Brasil.

Embora a distribuidora explicasse a razão do filme não ser exibido nos cinemas brasileiros, o ator continuou a atacar o presidente.

Publicidade

Ele levantou várias suspeitas sobre as informações da Universal e afirmou que quando existe uma certa censura, isso não é admitido.

Kevin McHale disse que não era preciso Bolsonaro declarar censura pessoalmente, bastava apenas ele criar esse ambiente no país.

Fatos reais

O filme "Boy Erased" conta a história de um jovem homossexual que está numa família muito religiosa e, em decorrência disso, é submetido a uma tentativa de "cura gay". A "cura" é estabelecida pela igreja que seus pais frequentam.

De acordo com as informações, esse filme é baseado numa história real.

Em sua campanha, Bolsonaro defendeu a família tradicional e se colocou contra a ideologia de gênero que supostamente seria levada até as escolas.

Leia tudo