O ex-deputado Jean Wyllys abdicou ao cargo de deputado federal para viver na Europa desde que sinalizou ser alvo de ameaças no Brasil. Há cerca de um mês, com o anúncio formalizado, o político está morando em Berlim, na Alemanha. Nesta semana, ele esteve em Portugal e foi recebido pela Casa de Alentejo. Wyllys conversou com jornalistas sobre assuntos relacionados ao governo Bolsonaro e ameaças que sofreu no Brasil.

Enquanto Jean Wyllys discursava, manifestantes contrários em ex-deputado gritavam: "lixo tóxico".

Publicidade
Publicidade

Na ocasião, o exilado falou sobre a atuação do ministro da Justiça, Sergio Moro. Wyllys é oposição ao governo Bolsonaro e, por conta disso, questionou o fato do ex-juiz, que colocou na cadeia o ex-presidente Lula, ter aceitado o convite de Jair Bolsonaro para se tornar ministro do governo.

Segundo Wyllys: "se ele fosse um homem com algum brio deveria sentir vergonha disso e não teria aceitado esse convite". Para completar, o ex-deputado disse que brio é algo que falta no governo de Bolsonaro.

Publicidade

Continuando o assunto sobre Justiça e Segurança, Jean Wyllys declarou que Moro vai dar "salvo-conduto" para que a polícia possa matar. Ele criticou o pacote anticrime do ex-juiz federal, que busca reforçar as regras no combate ao crime organizado.

Em outro ponto, Wyllys comentou sofre a polêmica reforma da Previdência. Ele cita que isso poderá gerar um "contingente de idosos miseráveis".

Manifestações contrárias

Na última terça-feira (26), Jean Wyllys foi atacado com ovos por manifestantes contrários a sua presença no Centro de Estudos Sociais da Universidade de Coimbra.

Não perca as últimas notícias!
Clique no tema que mais te interessa. Vamos te manter atualizado com todas as últimas novidades que você não deve perder.
Sergio Moro

Nesta quarta, o ex-deputado declarou que as manifestações vinham da influência de radicais brasileiros em Portugal.

A passagem do ex-deputado em Portugal contou com a manifestação do Partido Nacional Renovador (PNR).

Em declaração ao site Sputnik Brasil, a empresária brasileira Ana Teixeira, que reside em Portugal há 16 anos, afirma que Jean Wyllys tem "culpa no cartório" para ter saído do Brasil. Ela diz que o ex-deputado deve ter "medo de alguma coisa" e cita que a verdade ainda aparecerá.

A mesma opinião também é compartilhada pela brasileira Lis Teves, que também mora em Portugal.

O ex-deputado justifica sua saída do Brasil devido ameaças contra ele e sua família que foram realizadas através de e-mails. Wyllys acredita se sentir desprotegido e optou por abandonar o cargo e ir para outro país.

Não perca a nossa página no Facebook!
Leia tudo